Novo ministro do Turismo pede que destinos não decretem lockdown

|

Divulgação
Gilson Machado
Gilson Machado
O novo ministro do Turismo, Gilson Machado, divulgou nota falando dos desafios de assumir a pasta e pediu aos destinos de todo o País que não fechem o Turismo uma vez mais, pois as empresas não aguentariam o impacto. "Nós não teremos apenas uma recuperação econômica. Teremos a melhor recuperação econômica possível por causa do Turismo. Para isso, faço este apelo: não podemos fechar o trade novamente", disse ele. De acordo com Machado, o governo federal fez seu dever de casa com relação à covid-19 e o MTur ajudou a aprovar medidas provisórias pelo setor e a divulgar os protocolos de saúde.

Nos últimos dias, devido ao aumento de casos e morte por covid-19 no País (ontem foram mais de 800 óbitos), destinos como Pernambuco, São Paulo, Santa Catarina e o Distrito Federal têm aumentado as restrições para a atividade econômica. Inclusive com a proibição de festas e eventos de réveillon em bares, restaurantes e hotéis.

Leia a nota na íntegra abaixo:

"Foi com muita honra que recebi do senhor presidente da República, Jair Bolsonaro, a missão de assumir o Ministério do Turismo. Sei exatamente o tamanho da responsabilidade, mas não me faltam coragem e vontade de contribuir com o meu País.

O Brasil tem um potencial gigante para o Turismo e sabemos do desafio que vamos enfrentar, mas isso não me assusta, pois como coordenador na transição do Grupo Temático do Turismo (depois da eleição e antes da posse de Jair Bolsonaro), secretário nacional de Ecoturismo e presidente da Embratur, sempre trabalhei incansavelmente para tornar a atividade um dos principais vetores de crescimento da economia brasileira. E como principal entusiasta encontrei ninguém menos que o próprio presidente Bolsonaro.

Nesta pasta, que considero uma das mais importantes da Esplanada, cuidarei das políticas públicas relativas à atividade, com especial atenção àqueles que têm no turismo a sua labuta diária e dele tiram o sustento de suas famílias e com foco na retomada segura desta atividade que emprega milhares de brasileiros de Norte a Sul do País de maneira direta ou indireta.

Neste momento em que assumo o Ministério do Turismo, agradeço ao meu antecessor, Marcelo Álvaro, pelo apoio que me deu durante todo o tempo em que estive na Embratur e também o parabenizo por seu trabalho em prol do Turismo brasileiro.

Quanto à Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo, muito me alegra saber que será presidida por Carlos Brito, quadro técnico da mais alta qualidade da instituição e que já era diretor de Gestão Corporativa da agência.

Tenho profunda gratidão por ter a oportunidade de ajudar meu País, um País que foi arquitetado para dar certo, e fazer parte de um governo que constrói um legado e recupera a confiança e autoestima de uma nação.

Aproveito a oportunidade para fazer um apelo às autoridades municipais e estaduais para que não decidam por voltar a fechar as atividades ligadas ao trade do Turismo, especialmente no período do Natal. Não podemos implementar lockdown novamente pois o setor não aguenta.

O governo federal fez seu dever de casa e o Ministério do Turismo foi exemplo ao informar todo o País sobre quais são as melhores práticas sanitárias para evitar a disseminação do coronavírus. Também em virtude das articulações do governo federal, foram aprovadas medidas provisórias que protegeram os empregos dos brasileiros neste período difícil. Sabemos que o nosso maior ativo é o capital humano. Por ser, também, um operador do Turismo, sei especialmente disso.

Nós não teremos apenas uma recuperação econômica. Teremos a melhor recuperação econômica possível por causa do Turismo. Para isso, faço este apelo: não podemos fechar o trade novamente.

Encerro agradecendo a confiança do presidente Bolsonaro e reafirmo o meu compromisso de lealdade com ele e com meu País."
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA