Turismo ainda precisa recuperar 78 mil empregos; 50% no Rio e São Paulo

|


Agência Brasília
As perdas acumuladas (desde março de 2020) indicam o cancelamento de 78 mil postos formais de trabalho no Turismo
As perdas acumuladas (desde março de 2020) indicam o cancelamento de 78 mil postos formais de trabalho no Turismo
Índices da pesquisa Monitora Turismo, desenvolvida pela professora da USP (Universidade de São Paulo), Mariana Aldrigui, também presidente do Conselho de Turismo da FecomercioSP, mostra que a perda na geração de empregos, em decorrência dos efeitos da pandemia, ainda está longe de ser recuperada pelo setor de viagens. De acordo com o levantamento, entre março e agosto de 2020, as atividades turísticas monitoradas pela pesquisa, registraram perda de 202.952 vagas formais. Entre setembro de 2020 e fevereiro de 2021, 52,48% destas vagas foram recuperadas, com a contratação de 106.517. Março e abril de 2021 registraram saldo negativo de 8.031 vagas, e maio e junho trazem dados positivos, com a geração de 25.556 vagas.

As perdas acumuladas (desde março de 2020) indicam a o cancelamento de 78.934 postos formais de trabalho em Turismo, ainda que o saldo de 2021 seja positivo (geração de 33.029 postos formais). Esse valor, no entanto, representa apenas 2,15% dos empregos formais gerados no País nos últimos seis meses.

Vale ressaltar, conforme sugere a professora desenvolvedora do estudo, que os empregos formais no Turismo, mesmo no período pré-pandemia, representavam cerca de 35% do pessoal ocupado no setor. A informalidade ainda representa a maior parte da ocupação, com muitos profissionais autônomos ou sem vínculo formal.

A pesquisa Monitora Turismo leva em conta os números oficiais do Caged.

REGIÕES
Os Estados de São Paulo e Rio de Janeiro respondem por 59,6% das vagas perdidas, e as duas capitais juntas, por 36,5% do total nacional. Na sequência estão os Estados Paraná, Rio Grande do Sul, Bahia e Minas Gerais.

Abaixo é possível conferir algumas listas com o saldo dos empregos ligados ao Turismo em diferentes regiões do País e em diferentes períodos que voam de março do ano passado a junho deste ano.

Na tabela seguinte esta os dados de janeiro a junho de 2021.
Logo abaixo os índices de cidades não capitais de janeiro a junho deste ano.
Abaixo a lista de postos de trabalhos perdidos em destinos não capitais de março de 2020 até junho deste ano.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA