WTTC se posiciona contra restrições de viagens à África

|

Felipe Menezes/Inframerica
Para a entidade, os países devem continuar incentivando a vacinação, o uso de máscara, distanciamento e testes regulares
Para a entidade, os países devem continuar incentivando a vacinação, o uso de máscara, distanciamento e testes regulares
Na 24a Assembleia Geral da Organização Mundial do Turismo (OMT), que acontece em Madri, o Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC) fez um chamado à comunidade internacional para atuar com responsabilidade diante da nova variante ômicron, a fim de suspender as restrições de viagens impostas aos países africanos.

Para a CEO do WTTC, Julia Simpson, o fechamento de fronteiras não funciona, uma vez que "o vírus não respeita fronteiras entre países e os viajantes estão cansados das restrições que mudam frequentemente". Julia afirmou que a entidade é a favor de ações que "realmente permitam frear o avanço do vírus", incluindo vacinação mundial, uso de máscaras, distanciamento social e testes rápidos regulares.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, o fechamento de países causa danos econômicos e sociais incalculáveis. O WTTC desenvolveu quatro linhas de ação para enfrentar a atual crise sanitária:

  1. Certificado Digital da União Europeia, que inclui 51 países e já emitiu mais de 600 milhões de certificados
  2. A OACI Visible Digital Seal, tecnologia de passaporte eletrônico transfronteiriço para facilitar os procedimentos de imigração
  3. O Certificado DIVOC, desenvolvido e utilizado na Índia
  4. O cartão sanitário SMART, desenvolvido por companhias de saúde e tecnologia, como Microsoft, Apple e IBM
A Assembleia Geral da OMT acontece até amanhã (3) e reúne representantes de mais de 100 países.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA