Conceito de luxo depende da maturidade do viajante

|


Marcos Martins
Eby Piaskowy, da Queensberry
Eby Piaskowy, da Queensberry
CANNES (FRANÇA) – As viagens de luxo passam por uma renovação de conceito, que depende da maturidade e bagagem de cada viajante, segundo a diretora de Marketing da Queensberry, Eby Piaskowy. Durante participação na ILTM Cannes, ela fez uma análise do mercado de alto padrão.

“O luxo mudou e hoje temos outros valores. Há busca por aventuras, trabalho ativo com questões sociais e também sustentabilidade, já que temos vários programas neste sentido, que são muito populares, principalmente com os millenials. Ao mesmo tempo, é possível levar benefícios e fazer a diferença nas comunidades. Na operadora, nosso objetivo é oferecer algo diferenciado porque o viajante de luxo já conhece o básico e quer algo novo”, explica Eby.

“Vejo o luxo em uma transição, passando por vários degraus, sendo lapidado. Para muitos, o luxo é ficar num hotel cheio de cristais e móveis caros, mas para outros é muito menos que isso. Existe cliente para todos os objetivos e isso depende do perfil de cada um. Os valores estão diferentes.”

A PANROTAS viaja a convite da ILTM Cannes
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA