CVC divulga comunicado com análise sobre coronavírus; leia

|

A maior crise global em tempos de paz continua deixando executivos, profissionais e acionistas sem dormir no Turismo. Como se trata de algo sem precedência, uma crise inédita em amplitude e efeitos, não dá para usar parâmetros passados para saber quanto tempo irá durar e como o mundo estará após a pandemia. Alguns falam que o efeito é maior que a soma da crise financeira de 2008 e da crise gerada pelo terrorismo em 2001.

A CVC Corp, maior grupo de Turismo do Brasil, com dez marcas sob seu guarda-chuva, aqui e na Argentina, já anunciou medidas como cancelamento de fretamentos, readequação das reservas até 10 de abril, corte de investimentos, diminuição da jornada de trabalho e do salário dos cerca de três mil funcionários em 50% e trabalho em home-office.

Ainda há pouco, a empresa diulgou um comunicado oficial ao mercado, por meio de sua diretoria de Relações com Investidores, com dados da CVC Operadora.



Leia abaixo:


A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. (“Companhia”), comunica a seus acionistas e ao mercado as medidas que estão sendo tomadas em relação ao surto da Covid-19, que teve grande impacto sobre a movimentação de pessoas ao redor do mundo e, por conseguinte, sobre o segmento de viagens e turismo.

Clientes
Em linha com os valores da Companhia e seguindo as diretrizes das autoridades responsáveis, bem como as políticas dos fornecedores de serviços turísticos, a Companhia - incluindo todas as suas unidades de negócios - tem buscado acomodar as necessidades de seus clientes, oferecendo apoio e suporte a quem está em viagem e oferecendo opções de remarcação ou crédito para os que têm viagens marcadas paras próximas semanas. Este apoio aos clientes tem sido oferecido tanto na nossa rede de mais de 1.400 lojas, como também aos agentes de viagens parceiros, bem como pelos canais de atendimento telefônico e digital. Por fim, conforme o termo de ajuste de conduta (TAC) estabelecido entre o Ministério Público Federal e a Associação das Empresas Aéreas (Abear), caso o cliente opte pelo reembolso de sua passagem, o prazo para pagamento será de 12 meses a partir da data da solicitação, sem correção monetária ou multas.

Colaboradores e Parceiros
Visando ao bem estar e segurança de seus colaboradores e parceiros, a Companhia começou a adotar medidas preventivas à disseminação da Covid-19 em seus escritórios tais como: criação de salas de crise para atender aos clientes em caráter imediato; reforço na higienização dos ambientes de trabalho; comunicações diárias com os colaboradores através do time de gente e gestão; reuniões só através de videoconferência e trabalho remoto de 100% do time a partir de hoje. A Companhia tem também apoiado sua rede de franqueados e agentes parceiros, por meio de orientações sobre como tratar os clientes e colaboradores na atual situação. Estamos atuando junto as autoridades para obtenção de linhas de crédito para os pequenos empreendedores do setor, bem como junto aos shopping centers em relação aos aluguéis dos franqueados nesse momento crítico. A Companhia também reitera a parceria e relacionamento com todos os seus parceiros e dará o suporte necessário durante este momento para que todos saiam fortalecidos ao término desta situação.


Reprodução
Maurício Montilha, diretor de Finanças e Relações com Investidores
Maurício Montilha, diretor de Finanças e Relações com Investidores

Saúde Financeira

O cenário atual é incerto, tornando difícil prever o impacto potencial do surto da Covid-19 sobre a Companhia. Nesse cenário de incerteza, a Companhia vem tomando medidas para preservar sua saúde financeira, tais como:
i) Redução da jornada de trabalho de 50% a partir de 1° de abril para todos os colaboradores, exceto em casos pontuais, de pessoas que estejam atuando em temas emergenciais

ii) Redução de 50% de salário da Diretoria Executiva e Conselho de Administração a partir de 1° abril

iii) Suspensão de novas contratações e promoções

iv) Congelamento de vagas

v) Congelamento do banco de horas e proibição de horas extras adicionais

vi) Postergação de todos projetos e investimentos não prioritários

vii) Suspensão de todos os investimentos em marketing

viii) Renegociação de termos e prazos de pagamentos a fornecedores

ix) Devolução de todos fretamentos até 31 de maio de 2020

Caixa
Vale ressaltar que a Companhia possui um balanço sólido. Ao final do terceiro trimestre de 2019, de acordo com as últimas informações financeiras divulgadas, a Companhia tinha:
a) uma posição de caixa e equivalentes de caixa de R$411,9 milhões, bem como um saldo de contas a receber de clientes de R$3,2 bilhões, dos quais R$1,69 bilhão eram recebíveis de cartão de crédito e R$1 bilhão de recebíveis de boletos junto a instituições financeiras. É importante notar que, do saldo de contas a receber de clientes, cerca de 55% refere-se a contratos de clientes que já realizaram a viagem;

b) um saldo de R$811 milhões em adiantamentos a fornecedores, que na sua maior parte se referem a bilhetes aéreos já pagos de viagens já intermedidas pela Companhia;

c) um saldo de R$745,5 milhões de reais na linha de fornecedores.

Com as iniciativas de redução mencionadas anteriormente, estima-se que os gastos recorrentes da Companhia (folha de pagamento, impostos e investimentos de projetos prioritários e juros da dívida) sejam de cerca de R$50 milhões por mês.

Vale ressaltar, ainda, que a maior parcela do endividamento da Companhia tem vencimento a médio e longo prazo. De um endividamento total na ordem de R$1,8 bilhão, temos R$613 milhões vencendo este ano, em novembro de 2020.

O saldo de caixa e equivalentes de caixa em 31 de dezembro de 2019 era de aproximadamente R$365,4 milhões (números não auditados).

A Companhia manterá o mercado informado a respeito de outras medidas eventualmente adotadas para preservar sua posição de caixa.

A Companhia reitera seu compromisso com seus clientes, colaboradores, parceiros, acionistas e o mercado em geral, e reconhece seu papel de liderança no setor de turismo e viagens no Brasil, e que, portanto, terá um papel importante na retomada do setor, após assegurados a saúde e bem-estar de todos.

Santo André, 23 de março de 2020.

CVC BRASIL OPERADORA E AGÊNCIA DE VIAGENS S.A.

Maurício Teles Montilha
Diretor Executivo de Finanças e de Relações com Investidores"
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA