Artigo: caminhos para as operadoras atravessarem a crise

|


Divulgação
Cláudio Gonçalves,Planning Corporate Finance & Advisory
Cláudio Gonçalves,Planning Corporate Finance & Advisory
Economista analista de investimentos, conselheiro de administração e sócio-diretor da Planning Corporate Finance & Advisory, Claudio Gonçalves, em artigo enviado para o Portal PANROTAS, orienta empresas do Turismo, principalmente operadoras de lazer, a respeito do processo de Recuperação Judicial.

CONFIRA O ARTIGO COMPLETO:

"Caminhos para atravessar a crise Covid-19

Por Claudio Gonçalves, da Planning Corporate Finance & Advisory

A cadeia produtiva do Turismo é uma das mais atingidas pela pandemia e isolamento social. Algumas empresas correm o risco de não sobreviver no “pós-pandemia, afinal são aproximadamente três meses em que as empresas estão sobrevivendo sem receitas e pagando despesas fixas e folha salarial.

As operadoras de Turismo de lazer estão sendo fortemente afetadas pela crise. A CVC está em processo de captação de recursos para reforçar o caixa. Empresas que não têm acesso ao mercado de capital, por não adotarem boas práticas de governança, terão dificuldades em levantar recursos em bancos através de dívida.

Dia 4 de junho, o mercado foi surpreendido com o comunicado da Queensberry Viagens e Turismo Ltda., que estaria entrando em processo de recuperação judicial.

O processo de recuperação judicial (RJ), normal em qualquer mercado, ocorre quando a empresa apresenta desequilíbrio no capital de giro, ou seja, passivo circulante (obrigações) superior ao ativo circulante (liquidez). Quando isso ocorre, e a empresa não possui caixa, surge a necessidade de reestruturação de dívidas.

O processo de recuperação judicial é, na verdade, o melhor caminho para reestruturar dívidas. Trata-se de um instrumento legal que existe para ajudar as empresas em momentos de stress. O objetivo é salvar a empresa. A empresa em funcionamento gera empregos, renda, paga impostos e atende todos os stakeholders.

Em 26/5 a Latam entrou com pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos, deixando as unidades Brasil, Argentina e Paraguai fora do pedido. No âmbito da RJ a empresa está protegida. Pode desenvolver um plano de negócios e apresentar aos credores proposta de pagamento das dívidas, normalmente com deságio.

Especialistas têm chamado a atenção dos empresários do segmento para a importância de uma boa governança e gestão do capital de giro para garantir a saúde econômica e financeira das empresas.

O Turismo de lazer tem por característica trabalhar alavancado para fazer frente ao descasamento de fluxo de caixa, ou seja, financia os clientes em dez meses e paga os fornecedores no curto prazo, um mês.

Para evitar recuperação judicial que tem custo financeiro alto, o caminho passa por fortalecer a gestão da empresa com boas práticas de governança e técnicas de gestão financeira (capital de giro), sem o qual, a recuperação judicial ou falência podem bater à porta.

Algumas sugestões para evitar o cenário de “stress” e uma possível recuperação judicial:
- Adote boas práticas de governança
- Fortaleça a gestão financeira
- Trabalhe com orçamento e fluxo de caixa
- Faça revisão e análise das despesas fixas
- Fique atento às margens
- Negocie boas taxas com adquirentes de cartão de crédito
- Negocie prazo com os fornecedores
- Evite desconto de recebíveis
- Trabalhe com dívida bancária de médio e longo prazo

Bom trabalho trabalho a todos e sucesso na retomada."
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA