Balanços da CVC têm indícios de manipulação no passado

|

A CVC Corp, que deveria ter divulgado o balanço final de 2019 na última sexta-feira, 31 de julho (já adiado desde março deste ano), emitiu fato relevante na data de hoje, 3 de agosto, informando que concluiu o processo de revisão e reconciliação de sua escrituração contábil, realizado em decorrência da identificação de distorções em balanços anteriores (em um montante de R$ 362,38 milhões); finalizou as demonstrações financeiras de 2019; e que os trabalhos dos auditores independentes ainda estão em andamento, incluindo a revisão dos procedimentos de investigação e um parecer sobre o que ocorreu. Há suspeita de manipulação de dados por ex-colaboradores da CVC e de ocultação dos erros dos auditores externos.

Por isso, a CVC divulgou demonstrações financeiras de 2019 não auditadas, ainda sem a conclusão dos trabalhos dos auditores independentes. Essas demonstrações já contemplam os ajustes decorrentes das distorções identificadas, que chegam a um total de R$ 362,38 milhões (a previsão inicial era de erros contábeis de R$ 250 milhões, depois aumentados para R$ 350 milhões e que agora chegam a R$ 362,38 milhões).

Desse total, R$ 93,8 milhões são referentes ao exercício de 2019, causando redução na receita líquida consolidada de R$ 88,6 milhões e aumento da despesa consolidada de variação cambial de R$ 5,26 milhões.
Outros R$ 135,1 milhões são erros referentes ao exercício de 2018, causando redução na receita líquida consolidada de R$ 127,24 milhões e aumento da despesa consolidada de variação cambial de R$7,86 milhões. E R$ 133,44 milhões são referentes a exercícios anteriores a 2018, causando redução do patrimônio líquido em 1º de janeiro de 2018 neste montante.

A CVC Corp informa que esses erros ou ajustes contábeis, não terão impacto sobre a geração e os saldos de caixa reportados nas demonstrações financeiras, uma vez que o capital de giro reportado no período seria diminuído no mesmo montante; e os valores foram devidamente transferidos aos fornecedores.
O impacto desses erros no lucro líquido da companhia foi reduzido pelo lançamento de crédito referente à recuperação de impostos de renda e contribuição social que foram pagos indevidamente, estimados em R$ 55 milhões.

CAUSAS DOS ERROS
Os relatórios finais apresentados pela Comissão Especial de Apuração ao Conselho de Administração apontam deficiências nos sistemas, processos e controles relacionados à escrituração contábil da CVC Corp. Segundo os relatórios, essas deficiências contribuíram para ocorrência de distorções acima mencionadas nas demonstrações financeiras.

Além disso, os relatórios identificaram: evidências de que deficiências nos controles internos contribuíram para a ocorrência das distorções contábeis; evidências de que as deficiências acima referidas foram ocultadas por colaboradores da CVC inclusive dos auditores externos; e indícios, ainda não conclusivos, de que os resultados da CVC podem ter sido intencionalmente manipulados.

“Diante desses fatos, a Diretoria da CVC Corp elaborou e iniciou a implementação de um plano de ação com o objetivo de fortalecer sua governança corporativa e adequar seus sistemas, processos e controles relacionados à preparação de suas demonstrações financeiras. Além disso, o Conselho avaliará que medidas adicionais tomar diante dos fatos apurados.”

A CVC Corp disse que espera divulgar as suas demonstrações financeiras auditadas referentes ao exercício de 2019 até 31 de agosto deste ano, mesma data para as informações financeiras intermediárias referentes ao primeiro trimestre de 2020.

DADOS FINANCEIROS
Os dados financeiros não auditados da CVC Corp em 2019 incluem:

Receita líquida de vendas de R$ 1,76 bilhão (+14,6%)
Lucro bruto de R$ 1,62 bilhão (+14,8%)
Lucro antes do resultado financeiro de R$ 342,8 milhões (-24,2%)
Lucro antes do IR e contribuição social de R$ 116,9 milhões (-54,8%)
Lucro líquido de R$ 47 milhões (-65,3%)

DESPESAS OPERACIONAIS
Despesas de vendas: as despesas com vendas atingiram R$290,6 milhões, um crescimento de 23,6% em comparação a 2018, em função de maiores gastos com marketing.

Perda Estimada por valor recuperável: as despesas com perdas estimadas atingiram R$48,3 milhões, um aumento de 27,1% em comparação a 2018, em função do aumento da carteira própria de financiamento e de uma política de provisionamento para perdas mais conservadora.

Despesas Gerais e Administrativas: as despesas gerais e administrativas cresceram 16,8% em 2019 em comparação a 2018, totalizando R$653,2 milhões, devido à maior estrutura administrativa advinda das aquisições feitas no período e aumento do custo de mão de obra pelos ajustes salariais no período.

Depreciação e Amortização: as despesas com depreciação e amortização aumentaram 33% em 2019 em comparação a 2018, totalizando R$151,9 milhões, em função do aumento da base de ativos pelas aquisições realizadas no período e pelo maior volume de investimentos feitos, principalmente na digitalização da companhia.

Outras despesas operacionais, líquidas: outras despesas operacionais totalizaram R$134,4 milhões em 2019 em comparação a R$14,3 milhões, em função dos gastos e perdas relacionados à Avianca que ocorreram em 2019, bem como aumento com gastos para provisão de contingências no período devido ao aumento de processos cíveis; efeitos estes parcialmente mitigados pela reversão de passivo contingente da empresa adquirida anteriormente – a Trend.

O resultado financeiro líquido totalizou uma despesa de R$225,8 milhões em 2019 em comparação a R$193,4 milhões em 2018, devido principalmente ao aumento do endividamento líquido médio da companhia no período.

Acesse o documento completo com as demonstrações financeiras não auditadas em https://ri.cvc.com.br/.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA