Azul Viagens está perto de dobrar faturamento de 2019; veja estratégias

|



A Azul Viagens acredita em dobrar seu volume de vendas pré-pandemia nos próximos meses. Hoje, a empresa garante já vender 80% mais do que vendia em 2019 em termos domésticos. A operadora da Azul Linhas Aéreas possui mais de 35 lojas, ainda que mais de 70% de suas vendas sejam feitas via agências de viagens multimarcas.

Mais de 100 voos fretados, principalmente em cidades do interior, na alta temporada, sinergia com a companhia aérea e um avançado estudo de mercado são algumas das estratégias atribuídas pelo diretor de Marketing e Negócios da Azul Linhas Aéreas, Daniel Bicudo, na composição deste crescimento. Ele também fala sobre a alta do tíquete médio e o lançamento de novos produtos, como o voo direto São Paulo (Congonhas)-Fernando de Noronha (PE) e a estratégia internacional da operadora e da Azul. O executivo revela que a meta do CEO da Azul, John Rodgerson, é chegar a 200 destinos nacionais até o fim de 2022.

INTERNACIONAL
Orlando e Fort Lauderdale, na Flórida, e Lisboa são os pilares internacionais da companhia e continuarão sendo, principalmente com a alta demanda que vem sendo apresentada a esses destinos. A Azul se aproximou da Disney Destinations em ações de marketing, como com a chamada Frota Mais Mágica do Mundo, caracterizando algumas das aeronaves da aérea com personagens Disney. Serão sete ao todo.

Uruguai vai se manter como o único destino sul-americano da Azul no pós-pandemia, estando o voo Confins-Buenos Aires em "stand by".

RETOMADA
"De maneira geral podemos falar em retomada completa da Azul em patamares pré-pandêmico. Azul Viagens e o programa Tudo Azul estão acima de 80% do que se apresentava em 2019. Nosso principal hub, Viracopos, está cada dia mais movimentado. De lá, conectamos muito aeroportos menores, o que gerou muito fluxo lá, em Confins e Recife. Estamos tentando fazer melhorias ao cliente no aeroporto de Viracopos, para melhorar sua experiência", garante Bicudo.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA