Brasil tem cerca de 340 mil sites de Turismo; 12% são agências | Pesquisas e Estatísticas | PANROTAS
PESQUISAS E ESTATÍSTICAS

Brasil tem cerca de 340 mil sites de Turismo; 12% são agências

Janize Colaço
Rafaela Frankenthal e Adriele Lima, ambas do Mindminers, Thoran Rodrigues, da Big Data Corp, e Thiago Chueiri, do Paypal Brasil
Rafaela Frankenthal e Adriele Lima, ambas do Mindminers, Thoran Rodrigues, da Big Data Corp, e Thiago Chueiri, do Paypal Brasil

As agências de viagens têm se mostrado cada vez mais inseridas no e-commerce. De acordo com uma pesquisa da Big Data Corp, encomendada pela Paypal Brasil, dos mais de 21 milhões de sites no Brasil, quase 340 mil são dedicados ao segmento e 19% deles efetuam algum tipo de transação de vendas eletrônicas.

“Para o levantamento, nós consideramos como site de ‘agências de viagens’ todos aqueles que vendem pacotes e não necessariamente grandes empresas”, afirmou o CEO da Big Data Corp, Thoran Rodrigues. Em números, os sites de Turismo são representados por hotéis (20%), agências de viagens (12%), vendas de passagens (7%), havendo ainda um grande espaço para blogs (41%) e páginas corporativas (14%).
Janize Colaço
Thiago Chueiri, diretor de Desenvolvimento de Negócios da Paypal Brasil
Thiago Chueiri, diretor de Desenvolvimento de Negócios da Paypal Brasil

Parte desses sites pode ser gerida por profissionais independentes ou mesmo pequenas empresas. A mesma pesquisa, aliás, ainda demonstra um número consideravelmente expressivo de lojas físicas — ao todo, cerca de 24% têm lojas físicas.

Ainda que 64% dos viajantes consultados garantem também contratar serviços pela internet (sendo 37% deles em sites de compras e outros 13% diretamente com a empresa), 29% ainda preferem ir até a agência de viagens para efetuarem as compras.

“Mesmo moderno e cada vez mais assíduo da internet e do mobile, os viajantes ainda prezam pela segurança”, destaca o diretor de Desenvolvimento de Negócios da Paypal Brasil, Thiago Chueiri. Segundo ele, é nesse momento em que o papel dos agentes de viagens — cada vez mais posicionados como consultores — continuam a desempenhar as suas atividades.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA