PESQUISAS E ESTATÍSTICAS

Google cresce como base de pesquisa para viagens; OTAs caem

Point Franchise
41% das pessoas utilizam o Google como base para pesquisar suas viagens; taxa de conversão em compras, porém, é baixa
41% das pessoas utilizam o Google como base para pesquisar suas viagens; taxa de conversão em compras, porém, é baixa

Quatro a cada dez pessoas que pensam em viajar pesquisam os preços e destinos, em primeira-mão, no Google: a constatação é do estudo Portrait of American Travelers, da MMGY Global, divulgado nesta semana após entrevistar três mil estadunidenses que fizeram ao menos uma viagem nos últimos 12 meses.

Além de descobrir que 41% deles recorrem ao Google como ponto de partida para pesquisar, o estudo revelou que o Expedia é o segundo mais utilizado pelos millennials e pela geração X (37%), enquanto entre os baby boomers o Tripadvisor, com 36%, ocupa a segunda colocação.

No geral, porém, menos viajantes têm usado o Expedia e Tripadvisor em 2018 em relação a 2017, com o primeiro caindo um ponto percentual em relação ano passado, ficando em 36%, enquanto o segundo caiu para 35% (era 37% em 2017). Apenas 20% dos viajantes estão procurando via Kayak ou Priceline, e 14% pesquisam direto na Booking.com.

Uma contradição é observada na conversão das procuras no Google em compras através de seus produtos: 59% dos entrevistados consideram reservar todos os componentes de férias pelo gigante das buscas (mais que os 52% em 2017), mas apenas 8% deles de fato reservaram, nos últimos 12 meses, por meio de um de seus canais, como o Google Flights ou o Hotel Finder.

A Expedia ganha neste ponto: 64% dos viajantes disseram que reservariam todos os passos de sua viagem pela empresa, enquanto o Tripadvisor fica em terceiro, com 54% considerando comprar toda a viagem através dele.

Até a Amazon, potencial player do futuro do Turismo on-line, apareceu em alta no quesito, apesar de ainda não contar com ofertas formais de busca de viagens: 41% topariam reservar a viagem inteira na plataforma, mais que os 36% em 2017.

PROCURA POR OTAS CAI
Cerca de 60% dos viajantes disseram na pesquisa que visitam agências de viagens on-line (OTAs) regularmente para verificar informações e preços de viagens, menos que os 62% em 2017; os demais 40% pesquisam diretamente com sites provedores de serviços de reservas.

Para aqueles que procuram informações nas OTAs, 41% fazem reservas na própria plataforma em que pesquisou (a mesma porcentagem de 2017), enquanto 16% reservam diretamente pelo site do provedor de viagens, e 15% ligam diretamente para o fornecedor.




 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA