PESQUISAS E ESTATÍSTICAS

Millennials, emergentes e terceira idade: o futuro da indústria de viagens

Emerson Souza
Paulo Salvador, COO Global da Omnibees
Paulo Salvador, COO Global da Omnibees

CAMPINAS (SP) - Nos últimos anos, o comportamento dos millennials ainda transparecia como transgressor e, por vezes, que ditaria um abandono dos agentes de viagens. Um pouco mais envelhecida, essa geração demonstra que o futuro chegou e não deve ser temido pelos profissionais da indústria do Turismo.

Durante o Next Campinas, o COO Global da Omnibees, Paulo Salvador, destacou o que mudou para esse público. "Há duas coisas que eles têm agora e não tinham há cerca de quatro anos: filhos e mais dinheiro", explica. Segundo ele, ligeiramente mais envelhecidos, e começando a dar espaço à geração Z, os jovens na faixa dos 18 a 34 anos, continuam a buscar pela consultoria de agentes de viagens.

"Os millennials estão começando a encabeçar as novas famílias e, mais uma vez, o que pesa é a sensação de segurança na hora do consumo", pontua Salvador. O executivo ainda destaca uma recente pesquisa da WTTC que revela que pelo menos 51% desses jovens buscam por agentes de viagens na hora da compra.

NOVOS CONSUMIDORES
Junto aos millennials, Salvador ainda pontuou dois grupos que compõem o futuro das viagens mundiais: a terceira idade e as populações de países emergentes. "Principalmente no Brasil, as pessoas acima de 65 anos têm tempo, longevidade e energia para se locomover e é a população que mais vai crescer. Para quem recepciona, além de chineses, veremos mais vietnamitas, iranianos e mexicanos."

O Next Campinas é um evento realizado pela PANROTAS Editora, com o patrocínio Avianca, Beto Carrero World e Rextur Advance e apoio CEP Transportes, R1 Soluções Audiovisuais e Hotel Meliá
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA