PESQUISAS E ESTATÍSTICAS

Conheça o perfil de quem se hospeda em hostels


Divulgação/ Sand Hostel
Escolha por esta modalidade cresce entre os viajantes
Escolha por esta modalidade cresce entre os viajantes
Os hostels passaram de uma opção simplesmente barata para uma oportunidade de conhecer novas pessoas de todos os lugares do mundo, segundo o estudo “Evolução do Viajante de Hostel”, da plataforma Hostelworld, apresentado durante a Equipotel 2019. A pesquisa global considerou mais de cinco mil pessoas dos Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, França, Alemanha, Índia e Brasil. A pesquisa revela que 81% dos turistas que saíram recentemente em viagens de três ou mais semanas, visitando diversos destinos, escolheram ficar em hostels ao invés de hotéis.

A geração Z (de indivíduos entre 16 e 21 anos) tem mais interesse em conhecer destinos pouco tradicionais. Observa-se junto a esse público queda de 33% na busca de roteiros mais conhecidos, quando comparados com a Geração Y (de 18 a 39 anos) ou da Geração X e Baby Boomers. Desses viajantes, 19% afirmam que o espaço para interação social com outros hóspedes é a consideração mais importante ao escolher onde ficar, uma área em que os hostels se destacam.

Há também uma procura cada vez maior por este tipo de acomodação, pois é onde costuma-se oferecer atividades gratuitas, desde oficinas de ioga na praia a aulas de culinária locais, por exemplo. Os viajantes procuram por acomodações únicas, indo além da decoração padrão de um hotel, com um toque especial.

MUDANÇA DE HÁBITO
Originalmente, os hóspedes de hostels estavam viajando em um período de ano sabático, mas hoje estão cada vez mais encaixando as aventuras em pequenos períodos de folga do trabalho ou da universidade. Existe um aumento global de 57% entre os turistas da Geração Z que estão planejando viagens mais curtas nas férias da universidade ao invés de fazer um ano sabático.

“Nosso estudo mostra o quanto a área de hostels mudou nos 20 anos em que estamos operando”, comenta o CEO do Hostelworld, Gary Morrison. “Este é apenas o começo do que ainda está por vir. Hoje nós estamos vendo um boom da indústria hosteleira por conta das altas demandas em explorar o mundo e se conectar com novas culturas. Viajantes estão evoluindo, assim como os hostels em que eles estão se hospedando.”

DESTINOS
A América Latina é a mais procurada para longas viagens por turistas Millennials e pela Geração Z. Para eles, a América do Sul é prioridade na lista de viagens: 20% dos participantes têm a intenção de visitar o continente nos próximos três anos.

De acordo com a pesquisa, os países com maior alta de procura por turistas da Geração Z (em comparação com turistas Millennials) são em ordem decrescente: Jamaica, Islândia, Fiji, Romênia, Chile, Brasil, Noruega, Grécia, Paraguai e Colômbia. A Ásia continua em alta para os turistas Millenials e os três países que mais cresceram em popularidade para o segmento foram a Coreia do Sul, Japão e Cuba.

MULHERES VIAJANTES
Turistas do gênero feminino estão conhecendo mais do mundo. A nova pesquisa revela que 75% das mulheres ao redor do planeta já foram ou estão planejando viajar sozinhas, enquanto 67% dos homens fazem o mesmo. As reservas feitas por mulheres viajando sós subiram em 88% nos últimos quatro anos.

Nos Estados Unidos, a diferença entre mulheres e homens é a mais significativa. As americanas lideram a taxa global e fazem mais reservas para viagens, seguidas pela Alemanha, Reino Unido, Austrália e Canadá. As previsões de destino para viajantes mulheres são, em porcentagem de crescimento de interesse, Brasil, Islândia, Chile, Fiji e Noruega.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA