EUA mantêm posição como maior mercado de viagens e Turismo

|

Dados mais recentes do Relatório de Impacto Econômico (EIR), do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC), referente ao ano de 2020, mostram que os EUA mantiveram sua posição como o maior mercado global de viagens e Turismo, apesar de sofrer uma queda enorme de 41% no PIB no ano passado.

Pixabay/Capturing Life as it happens
Estados Unidos mantêm posição como maior mercado de viagens e Turismo
Estados Unidos mantêm posição como maior mercado de viagens e Turismo
A China também manteve sua posição como o segundo maior mercado, mas experimentou uma queda mais acentuada do PIB, de 59,9%, com o Japão melhorando ligeiramente sua classificação – do quarto para o terceiro lugar –, suportando uma queda do PIB de quase a metade da China, de apenas 37%.

Enquanto isso, o Reino Unido, que em 2019 classificou-se como o quinto maior destino de viagens e Turismo do mundo, caiu três posições, indo para o oitavo lugar, sustentando uma queda punitiva do PIB de 62,3%. Restrições de viagens contínuas e quarentenas desnecessárias fizeram com que o país sofresse o maior colapso dos dez maiores mercados.

O relatório identificou outros mercados líderes globais que sofreram quedas dramáticas semelhantes do PIB. A Alemanha caiu uma posição, indo da terceira para a quarta posição, após uma queda de 46,9% na contribuição do setor para o PIB. Enquanto isso, a Itália subiu, indo do sexto para quinto lugar, apesar de experimentar uma queda de 51% na contribuição.

A França, o destino mais popular do mundo em termos de número de visitantes internacionais, subiu uma posição – da sétima para a sexta –, apesar de sua contribuição para o PIB cair quase pela metade (48,8%). Já o Brasil aparece no 11º lugar, tendo subido uma posição em relação ao ranking de 2019.

A pesquisa revelou ainda que o setor global de viagens e Turismo sofreu uma perda de quase US$ 4,5 trilhões em 2020 devido ao impacto da covid-19, com quase 62 milhões de empregos perdidos, representando uma queda de 18,5%, deixando apenas 272 milhões empregados em todo a indústria globalmente.

Reprodução
“Com notícias positivas de toda a Europa sobre a reabertura gradual das fronteiras, esperamos ver muitos mais países adotarem uma abordagem mais baseada no risco. Isso irá restaurar a mobilidade com segurança por meio de testes rápidos e protocolos de saúde e higiene, além do benefício da implementação da vacina. A necessidade urgente de restaurar as viagens internacionais é totalmente evidente após a divulgação desses dados, que mostram que o setor global de viagens e Turismo sofreu de forma desproporcionalmente forte devido à pandemia”, diz a presidente e CEO do órgão, Gloria Guevara.

De acordo com Gloria, globalmente, os países experimentaram uma queda média na contribuição do PIB de 49,1%, enquanto a economia mundial encolheu apenas 3,7% no ano passado, mostrando como as restrições de viagens reduziram drasticamente a contribuição de Viagens e Turismo para as economias em todo o mundo.

“Países como Israel, Reino Unido e EUA fizeram grandes avanços com programas de vacinação, imunizando mais da metade de suas populações, mostrando que há motivos para otimismo em relação ao futuro. Mas agora não é hora de tirar o pé do pedal. Temos de pressionar para que as viagens sejam retomadas mais rapidamente para recuperar os 62 milhões de empregos perdidos no ano passado e os muitos outros milhões que continuam em jogo”, finaliza.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA