Mais uma pesquisa mostra disposição de viajar após a vacina

|

Turistas viajavam com frequência antes da pandemia asseguram que estão prontos e ansiosos para voltar aos aeroportos. Pesquisa divulgada pelo Priority Pass, da Collinson, revelou que os viajantes mais assíduos garantiram que esperam viajar quase um seis vezes nos próximos 12 meses. Comparado com as médias pré-covid, de quase dez voos por ano, isso representa uma recuperação de 61% em relação às viagens em 2019.

Marcelo Camargo/Agência Brasil
Os viajantes mais frequentes garantiram que esperam viajar quase seis vezes nos próximos 12 meses
Os viajantes mais frequentes garantiram que esperam viajar quase seis vezes nos próximos 12 meses
Com alcance global, a pesquisa analisou opiniões de mais de 46 mil associados do programa Priority Pass da empresa e mostra que as viagens a lazer responderão por mais da metade das viagens (55%) feitas no próximo ano. Embora a recuperação das viagens a negócios vá ser mais lenta, há uma demanda dos passageiros frequentes por seu retorno, com a expectativa de que esse tipo de deslocamento vai representar 45% dos voos feitos globalmente no próximo ano.

EXPECTATIVAS
Conforme apontam os pesquisadores, o desejo de manter os riscos à saúde o mais baixos possível resultou em mudanças nas maneiras como as pessoas vivenciam as viagens aéreas, com o objetivo de manter o contato externo ao menor nível.

- 22% têm mais chance de fazer voos curtos;

- 24% têm mais chance de usar instalações sem pessoas, tais como quiosques de passaportes biométricos;

- 48% têm mais chance de usar o acesso a salas VIP de aeroportos do que antes da pandemia;

- 20% têm mais chance de pedir alimentos e bebidas com antecedência e retirá-los antes da partida;

- 49% indicaram que o distanciamento social e transações sem contato no aeroporto são de importância relativamente alta ao viajar.

VIAJANTES MOTIVADOS
A disposição para voltar a viajar, segundo aponta o estudo, pode ser atrelada ao avanço do processo de vacinação em todo o mundo.

Perto de 80% dos viajantes mundiais admitem que se sentem mais confiantes em relação à segurança das viagens aéreas com mais pessoas sendo vacinadas, enquanto 40% dizem que viajarão um mês depois de receber a vacina. Embora a vacinação ainda não tenha sido concluída no mundo todo, o andamento desse processo gera esperança, conforme avalia a pesquisa, assim como as discussões sobre certificados digitais de saúde, com 74% dos entrevistados afirmando que gostariam de utilizar um.

Ao mesmo tempo, 76% dos associados afirmam que se sentiriam confiantes para viajar internacionalmente se a vacinação se tornasse uma medida obrigatória.

Quando questionados sobre a possibilidade de viajar de avião nos próximos 12 meses, 78% dos respondentes expressaram sentimentos de entusiasmo e 61% se sentiam confiantes.

As viagens domésticas (em 64%) devem ter uma recuperação maior do que as viagens internacionais (em 59%), em comparação com os níveis de 2019.

QUARENTENA
A pesquisa também mostra que, embora medidas de quarentena sigam sendo aplicadas ao redor do mundo, somente 29% dos viajantes sentem que se trata de uma medida de segurança essencial. Outros 72% a veem como um grande impedimento às viagens internacionais.

Explorando mais a fundo os motivos por trás desse sentimento amplamente negativo em relação à quarentena, 70% culpam os custos adicionais envolvidos e a natureza imprevisível das regras de quarentena, enquanto 61% relutam em passar tanto tempo dentro de casa, um achado que provavelmente está ligado à crescente ênfase no bem-estar mental ao viajar.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA