TRVL LAB e ELO preveem melhor verão da história para o Turismo

|

A segunda edição da pesquisa “As viagens de lazer em um mundo pós-vacina – Insights para o Turismo”, um projeto TRVL LAB e ELO, mostra o brasileiro pronto para viajar, assim que estiver vacinado, o que já está ocorrendo em todo o País. Portanto, os planos para o segundo semestre, final de ano e verão 21/22 estão a todo vapor. A previsão é do melhor verão para as viagens domésticas da história, com o brasileiro descobrindo novos nichos e propósitos em suas viagens nacionais. Mas também com a possibilidade de 1) falta de assentos e quartos em algumas datas e destinos; 2) aumento de preços; 3) concorrência com as remarcações, algumas paradas desde março de 2020; e 4) expectativa de reabertura das fronteiras com Argentina, Estados Unidos e Portugal, o que pode levar a troca de planos de viagem de última hora.

Confira alguns números abaixo e leia a reportagem da Revista PANROTAS ou acesse a pesquisa em trvl.com.br.

- Segundo a pesquisa TRVL LAB/ELO, 61% dos brasileiros estão planejando viagens de lazer nos seis meses posteriores à vacinação completa.
- 54% estão se programando para viagens ainda este ano, no segundo semestre.
- 75% não fugirão da preferência nacional: Sol e Praia.
- 38% escolherão o Nordeste como destino, primeiro lugar disparado na escolha dos viajantes.
- 81% apontam relaxar e descansar como principal motivo da viagem e 64% querem se divertir.

Segundo a diretora da Mapie e analista do TRVL LAB, Carolina Sass de Haro, há um desejo de celebrar a vida e os momentos pós-pandemia. “A temporada de verão será bastante promissora para os destinos que combinarem opções de descanso e relaxamento, com muitas experiências para toda a família”, diz ela.

Vale lembrar que o Sol e Praia é a preferência, mas que as experiências nos destinos estão em alta. Relaxar pode ser sair da rotina e os viajantes querem se conectar com a natureza, com as comunidades dos destinos e consigo mesmo. O viajante de lazer mudou e não quer mais aglomeração gratuita e busca propósito em quase tudo na viagem.

SEGUNDA EDIÇÃO

A pesquisa está dividida em Viagens de Lazer e Viagens Corporativas e será apresentada na Revista PANROTAS em duas etapas, começando pelo lazer (clique aqui para ler). Na próxima semana traremos os principais dados de Viagens Corporativas.
Nesta segunda edição o TRVL LAB e a ELO produziram duas versões para cada segmento: uma versão completa para quem quer esmiuçar todos os dados, respostas e análises; e uma versão pocket, com os highlights já selecionados por nosso time. Também foram produzidos dois infográficos, que serão divulgados em um terceiro momento.

Além disso, uma live dividida em duas partes (Lazer e Corporativo) será realizada no dia 19 de agosto, às 15h, no Portal e Facebook PANROTAS. Fique atento também a nossas redes sociais (@portalpanrotas) para mais destaques da pesquisa.
A versão pocket de LAZER já está disponível para baixar, gratuitamente, em trvl.com.br.

“Como apoiadores de longa data do turismo e parceiros nesse processo de retomada, acreditamos que a pesquisa revela insights importantes para ajudar o mercado a entender quem são os viajantes, seus desejos e poder se preparar para oferecer serviços ainda melhores, de acordo com as novas tendências de consumo. Estamos vivendo um movimento acelerado de digitalização que proporciona oportunidades para os serviços turísticos de oferecerem experiências diferenciadas desde o início do atendimento e ao longo de todas as etapas da jornada do consumidor”, comenta Fillipi Nobre, superintendente de desenvolvimento de negócios da Elo.


Além dos dados completos de dezenas de perguntas, a pesquisa TRVL LAB/ELO traz também as personas que são tendências na retomada das viagens de lazer, insights para o setor aproveitar melhor as respostas dos viajantes e ainda highlights de toda a pesquisa, resumida na versão pocket.

OMNIBEES COMPROVA TENDÊNCIA
E para mostrar que os dados otimistas da pesquisa estão alinhados com a realidade, trazemos também dados exclusivos da plataforma de reservas da Omnibees, com mais de 5 mil hotéis no Brasil, mostrando que julho foi o melhor mês de vendas da hotelaria brasileira desde janeiro de 2019. Sim, as vendas em julho foram 8,77% maiores que o melhor mês de 2019 (outubro) para hotéis e resorts do País.
Se analisarmos apenas os meios de hospedagem do Nordeste temos um resultado surpreendente: as vendas em julho foram 49,27% melhores que o melhor mês de 2019, lá no longínquo período conhecido historicamente como pré-pandemia. O Sul está com vendas 5,93% maiores que 2019 (portanto abaixo da média) e o Sudeste se recupera mais lentamente, ainda não atingindo números da pré-pandemia.

“Na tendência por região, impressionam os 49,27% a mais de reservas no Nordeste em relação ao pico de 2019”, aponta Rodolfo Delphorno, diretor comercial e de Marketing da Omnibees. Ele destaca ainda a região Sul, que também ultrapassou o máximo de 2019 em 5,93%. “Já algumas regiões mais tipicamente corporativas, como o Sudeste, já demonstram crescimento e com a mesma quantidade de reservas de 2019, mas ainda abaixo do pico daquele ano”, explica o diretor da Omnibees.
E AS TARIFAS?

Com a demanda aquecida e as vendas acima dos melhores meses de 2019, pré-pandemia e pós-derramamento de óleo nas praias nordestinas, como as tarifas para os hotéis do Nordeste e no restante do Brasil estão se comportando?

Rodolfo Delphorno explica: “Quando olhamos Brasil sem distinção de faixas, as diárias médias em julho já estão bem mais altas (18,69%) que o mesmo período de 2019, já levando em conta a curva de sazonalidade”. Ou seja, os preços subiram. E para o verão a perspectiva é de manutenção dessa elevação. Talvez a reabertura de fronteiras dos Estados Unidos e Europa pressione essas tarifas nacionais para baixo, mas provavelmente somente no médio e longo prazos, não ainda para o fim de ano.

“Quebrando este dado por faixas de preço, vemos que os hotéis de diárias mais baixas (até R$ 200) ainda estão com valores abaixo dos de 2019, enquanto os entre R$ 201 e R$ 400 estão no mesmo valor médio anterior, sendo que em todo o período da pandemia este patamar só foi atingido agora em julho de 2021”, comenta o executivo da Omnibees.

“O aumento de valor de diária fica claramente demonstrado nos gráficos das faixas mais altas. Hotéis com diária média entre R$ 401 a R$ 600 estão 16,9% acima do mesmo período de 2019, enquanto os acima de R$ 600 estão 22,9% acima”, o que comprova que os tíquetes altos que viajavam para o Exterior redescobriram o Brasil, como vimos nas personas identificadas pela pesquisa TRVL LAB/ELO.

“Avaliando o comportamento da diária média de hotéis acima de R$ 400 e lembrando que mercados internacionais tradicionalmente de lazer ainda não estão receptivos aos brasileiros, antevemos o risco de haver muitos cancelamentos e trocas por destinos internacionais mais baratos”, prevê e finaliza ele.

LEIA TUDO ISSO E MUITO MAIS NA EDIÇÃO ESPECIAL D REVISTA PANROTAS, REPLETA DE DADOS PARA VOCÊ PLANEJAR E FAZER PARTE DA RETOMADA DAS VIAGENS NO BRASIL

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA