Turismo cresce 4% em 2021, mas segue abaixo dos níveis pré-pandemia

|

As chegadas ainda estão 72% abaixo dos níveis pré-pandemia
As chegadas ainda estão 72% abaixo dos níveis pré-pandemia
O Turismo global experimentou um aumento de 4% em 2021, em comparação com 2020. No entanto, as chegadas de turistas internacionais ainda foram 72% abaixo do ano pré-pandemia de 2019, de acordo com estimativas preliminares da Organização Mundial do Turismo (OMT). Isso segue a partir de 2020, o pior ano já registrado para o Turismo, quando as chegadas internacionais diminuíram 73%.

A primeira edição de 2022 do Barômetro Mundial de Turismo da OMT indica que o aumento das taxas de vacinação, combinado com a flexibilização das restrições de viagem devido ao aumento da coordenação e dos protocolos transfronteiriços, ajudaram a liberar a demanda reprimida.

O Turismo internacional se recuperou moderadamente durante o segundo semestre de 2021, com as chegadas internacionais caindo 62% no terceiro e no quarto trimestres em comparação com os níveis pré-pandemia. De acordo com dados limitados, as chegadas internacionais em dezembro ficaram 65% abaixo dos níveis de 2019. O impacto total da variante ômicron e o aumento nos casos de covid-19 ainda não foram vistos.

Recuperação lenta e irregular
O ritmo de recuperação continua lento e desigual nas regiões do mundo devido a diferentes graus de restrições de mobilidade, taxas de vacinação e confiança dos viajantes. A Europa e as Américas registraram os resultados mais fortes em 2021 em comparação com 2020 (+19% e +17%, respectivamente), mas ainda 63% abaixo dos níveis pré-pandemia.

Por sub-região, o Caribe teve o melhor desempenho (+63% acima de 2020, embora 37% abaixo de 2019), com alguns destinos chegando perto ou superando os níveis pré-pandemia. O sul da Europa do Mediterrâneo (+57%) e a América Central (+54%) também tiveram uma recuperação significativa, mas permanecem 54% e 56% abaixo dos níveis de 2019, respectivamente. A América do Norte (+17%) e a Europa Central e Oriental (+18%) também subiram acima dos níveis de 2020.

Enquanto isso, a África viu um aumento de 12% nas chegadas em 2021 em comparação com 2020, embora ainda esteja 74% abaixo de 2019. No Oriente Médio, as chegadas diminuíram 24% em relação a 2020 e 79% em relação a 2019. 65% abaixo dos níveis de 2020 e 94% quando comparado aos valores pré-pandemia, pois muitos destinos permaneceram fechados para viagens não essenciais.

Aumento dos gastos com Turismo

A contribuição econômica em 2021 (medida em produto interno bruto direto do Turismo) é estimada em US$ 1,9 trilhão, acima dos US$ 1,6 trilhão de 2020, mas ainda bem abaixo do valor pré-pandemia, de US$ 3,5 trilhões. As receitas de exportação do Turismo internacional podem aumentar a US$ 700 bilhões em 2021, uma pequena melhoria em relação ao gasto, mas menos da metade do US$ 1,7 trilhão registrados em 2019.

Estima-se que as receitas médias por chegada atinjam US$ 1,5 mil em 2021, acima dos US$ 1,3 mil em 2020. Isso se deve a grandes economias reprimidas e estadas mais longas, bem como preços mais altos de transporte e acomodação. A França e a Bélgica relataram quedas comparativamente menores nas despesas com Turismo, com -37% e -28%, respectivamente, em relação a 2019. A Arábia Saudita (-27%) e o Catar (-2%) também apresentaram resultados um pouco melhores em 2021.

Perspectivas para 2022
De acordo com o último painel de especialistas da OMT, a maioria dos profissionais de Turismo (61%) vê melhores perspectivas para 2022. Enquanto 58% esperam uma recuperação em 2022, principalmente durante o terceiro trimestre, 42% apontam para uma recuperação potencial apenas em 2023. A maioria dos especialistas (64%) esperam que as chegadas internacionais retornem aos níveis de 2019 apenas em 2024 ou depois, acima dos 45% na pesquisa de setembro.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA