Confira cinco tipos de viajantes para um marketing direcionado

|

À medida que partes do mundo emergem da pandemia, as empresas de viagens e transporte estão otimistas com a perspectiva de uma recuperação na demanda do consumidor. Dos setores mais atingidos pela covid-19, os gastos com publicidade em 2021 poderiam aumentar 28% ano a ano para viagens, em comparação com 15% em mídia e entretenimento e 5% no varejo.

Unsplash/Romain Mathon
Confira cinco tipos de viajantes para um marketing direcionado
Confira cinco tipos de viajantes para um marketing direcionado
Historicamente, porém, companhias aéreas, hotéis, empresas de cruzeiros e intermediários de viagens têm lutado para aproveitar ao máximo seus orçamentos de marketing. Eles perdem oportunidades de encantar os clientes, contando com ofertas do tipo "tamanho único", implementam ativos de marketing digital de maneira ineficaz e não fornecem uma experiência de usuário perfeita, segundo a Bain & Company, empresa de consultoria.

Essas estratégias uniformes de marketing muitas vezes fracassam porque não atendem às diferentes necessidades, comportamentos e atitudes dos consumidores. Uma pesquisa do Google com 1.990 viajantes descobriu que diferentes segmentos de consumidores compartilham preferências específicas por acomodações, destinos, transporte, orçamento e mais. Avaliando os usuários em cinco fatores, a Bain & Company identificou cinco arquétipos de viajantes.

São eles:

  • Grandes apostadores: têm maior probabilidade de viajar por longas distâncias e gastar mais do que a média – cerca de 22% gastam de mil a 2,5 mil euros em uma viagem.
  • Viajantes vorazes: tendem a ser consumidores mais jovens e com experiência digital que procuram as melhores acomodações, experiências e serviços.
  • Comf-trotters: estão principalmente interessados em locais relaxantes, como a beira-mar e acomodações de luxo, com a maioria preferindo hotéis de 4 a 5 estrelas.
  • Entusiastas do esporte: buscam a atividade física e priorizam um estilo de vida saudável.
  • Viajantes preguiçosos: tendem a ser mais velhos, gastam menos de 250 euros por viagem e preferem estadias em casas de aluguel.

À medida que as viagens voltam com força em algumas regiões, companhias aéreas, hotéis, empresas de cruzeiros e intermediários de viagens têm uma oportunidade única de reavaliar sua estratégia de marketing e acelerar sua recuperação.

Para superar o ruído e competir em um mundo pós-pandemia, as corporações podem empregar uma abordagem de hiper segmentação, customizando estratégias para cada arquétipo, usando ferramentas digitais e técnicas ad hoc, como preços dinâmicos, propostas de valor sob medida e experiências personalizadas, para fazer uma mudança radical na satisfação e fidelidade do cliente. Com uma abordagem direcionada, esses players maximizarão seu retorno sobre o investimento, se diferenciarão e prosperarão na nova era das viagens.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA