Accor quer mais que dobrar número de hotéis de luxo na América do Sul

|


PANROTAS / Filip Calixto
Mariangela Klein e Carolina Stolf, executivas das marcas luxo da Accor
Mariangela Klein e Carolina Stolf, executivas das marcas luxo da Accor
Atualmente com 32 empreendimentos das categorias luxury, ultra luxury, premium e lifestyle na América do Sul, a Accor tem planos para mais que dobrar a quantidade de hotéis desses tipos até o final de 2025. De acordo com a gerente de Marketing da empresa para hotéis de alto padrão na região, Mariangela Klein, o cronograma é chegar a 70 empreendimentos desses perfis.

Embora ousada, a meta parece mais que possível para uma empresa com o alcance da rede francesa. Um sinal disso é voltar no tempo e lembrar que até 2014, o número de unidades de marcas luxo na região era nove. “Entendo que é um objetivo possível e que revela uma tendência de mercado”, pondera Mariangela, em entrevista concedida hoje (29), na ILTM Latin America, em São Paulo.

Outro indício de que o plano é factível é o ritmo das aberturas. Nos últimos meses a companhia abriu um MGallery em Pipa (RN), a segunda unidade Pullman em Lima, no Peru, e estreou a marca MGallery no Uruguai. Já na entrada de 2022, outras aberturas estão no radar como a inauguração do Jo & Joe Rio, na capital fluminense, e de um MGallery em São Paulo, na região da rua Frei Caneca.

O fortalecimento da presença no cenário do luxo na América do Sul vem de um movimento global da empresa nos últimos anos. Esse movimento é resultado da identificação de demanda, conforme revela a executiva.

Resumindo o caminho que esse movimento deve ter dentro do Brasil, Mariangela aponta que o caminho deve seguir a rota de investimentos em hotéis de lazer, resorts e mais atenção ao mercado do nordeste.
Esta empresa apoia o Fórum PANROTAS 2021
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA