AGÊNCIAS DE VIAGENS

Agências do ABC pretendem criar associação independente


Divulgação
Em sentido horário: Nilce. da BBL Turismo, Claudia, da Lótus Travel, Mizeca, da Stella Barros, Danielle e Rubens, da DR Turismo, Paulo Tinoco, da Lótus Travel, Elaine, da ABCFly, e Vera, da Facility Turismo
Em sentido horário: Nilce. da BBL Turismo, Claudia, da Lótus Travel, Mizeca, da Stella Barros, Danielle e Rubens, da DR Turismo, Paulo Tinoco, da Lótus Travel, Elaine, da ABCFly, e Vera, da Facility Turismo

Cansados de enfrentar concorrência das vendas diretas de operadoras e do descaso de alguns fornecedores e parceiros, agentes de viagens da região do ABC Paulista indicam o que pode ser o início de mais uma associação independente da categoria, a exemplo do que se iniciou na Baixada Santista, em 2015, com o grupo hoje chamado de Unav. As agências ABCFly, BBL Turismo, Facility Turismo, Lótus Travel e Stella Barros de Santo André e DR Turismo de Ribeirão Pires se reuniram ontem para trocar experiências e discutir possíveis alianças.

“Somos um grupo que já se conhecia, cuja forma de trabalhar é semelhante e temos grande representação em nossas cidades. Apesar de concorrentes, nos respeitamos e temos uma grande lista de ações em comum que podem ser resolvidas por meio desta união”, esclarece um dos cabeças do grupo, Paulo Henrique da Rocha Tinoco, fundador da Lótus Travel, Santo André (SP).

Desde pormenores que atrapalham a rotina do agente, como recebimento de voucher errado, até questões mais amplas, como a concorrência desleal do operador que vende direto, a distância no relacionamento com as companhias aéreas e os produtos disponibilizados on-line pelas operadoras, sem distribuição às agências, poderiam ser solucionados com esse tipo de ação, segundo o agente.

“Outro fator latente é a concorrência desleal de alguns franqueados. É complicado concorrer com lojas que tem franqueado e agência. Por mais que digam que não oferecem condições especiais, nós sabemos que isso é algo recorrente, tal como os profissionais que abrem mão de parte da comissão para vender mais barato. O que tem de valer é serviço, ética e honestidade”, afirma Tinoco.

Além de combater tais conflitos, a união pode render outros frutos, como atrair fornecedores para capacitações em conjunto e conseguir tarifas diferenciadas para produtos em comum, em uma negociação mais ampla. “A Lótus é pequena, mas juntando essas forças, temos então um volume considerável, e as operações conjuntas em data comum podem valer a pena, tal como publicidade cooperada”, conclui o agente.

Nenhuma das agências envolvidas é associada Abav, segundo Paulo Tinoco, que almeja atrair mais nomes da região para seguir discutindo as questões em comum. O próximo encontro deve acontecer em 15 dias, e a ideia é chegar a aproximadamente 25 empresas.


 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA