Latam espera transportar 15% dos atletas na Olimpíada

|


Jhonatan Soares

Cerca de 1,6 milhão de visitantes. Este é o número esperado de turistas para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, que acontecerão entre agosto e setembro no Rio de Janeiro. Apoiadora oficial do evento, a Latam Airlines Brasil espera transportar ao menos um quarto dos visitantes.

De acordo com o diretor sênior de Operações e Inovação, Eduardo Costa (foto), a companhia estima que 30% de todos os voos feitos durante o período sejam com atletas ou turistas.

Ele aponta que os números são baseados na quantidade de assentos disponíveis da aérea para a ocasião. “Nós prospectamos [a porcentagem] em saídas e chegadas do Rio de Janeiro. Um passageiro pode vir de Londres com outra companhia, desembarcar no Rio e voar com a gente”, exemplificou.

Segundo ele, a Latam Brasil deve voar com, pelo menos, 15% das delegações olímpicas. Além dos 955 atletas do Brasil, exceto os de futebol que viajam Gol, a aérea também vai embarcar e desembarcar os profissionais de Montenegro. Demais países estão em negociação, como a Tailândia, e devem ser anunciados em breve.

Se por um lado as expectativas com os protagonistas dos jogos são altas, por outro, a procura do produto pelo cliente deixa a desejar. Com as vendas de pacotes 30% abaixo do esperado – a Latam Travel é a operadora oficial do evento -, Costa espera que a comercialização seja rentável. A apatia do brasileiro é preocupante, mas não tanto. O consumidor final deve ser o alvo da companhia.

“A procura e compra de ingressos costuma ser de última hora. Esse é o perfil do brasileiro em geral e da Olimpíada também”, disse ele, mencionando que os bilhetes não são vendidos com tanta antecedência como na Copa do Mundo.

INFRAESTRUTURA E SEGURANÇA
Com as reformas ainda não concluídas do Rio Galeão, Costa acredita em uma melhora mais do que significativa do terminal. Principal ponto de embarque e desembarque na Rio 2016, ele aprova a estrutura oferecida além das novas lojas e dos restaurantes.

“A condição de trabalho de hoje não é comparável com a Copa do Mundo. Temos a garantia de 100% de embarques e desembarques serem feitos por fingers. O controle de espaço aéreo tem tecnologia eficiente em relação a descidas e decolagem mais rápidas”, opinou.

Com os problemas zika vírus, infraestrutura e violência, a Olimpíada tem um “vilão” adicional para a Latam Brasil: os atentados. De acordo com Costa, a empresa aérea tem trabalhado com agências de inteligência nacionais e internacionais para intensificar a segurança nos voos e aeroportos.

“Em um evento com chefes de estado de todo mundo, atletas que são celebridades, nós temos que tomar essa medida”, finalizou, em referência à visibilidade do evento de esportes mais popular do mundo.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA