CEO da Alitalia pede compreensão com redução de custos

|


Divulgação/Alitalia
Cramer Ball, CEO da Alitalia
Cramer Ball, CEO da Alitalia

A situação financeira da Alitalia está cada vez mais difícil. No início desta semana, o CEO da companhia aérea, Cramer Ball, alertou que os próximos dois meses serão cruciais para a sobrevivência da companhia, que deve reduzir os custos em ao menos 160 milhões de euros em 2017. “É de vital importância que os trabalhadores e os principais parceiros da Alitalia, como fornecedores e sindicato, abracem e aceitem as mudanças radicais que necessitamos implementar para ganhar a próxima rodada de investimento. Será crucial para nosso futuro.”

Isso estaria em linha com as previsões do plano de investimento e com as exigências do governo italiano para apoiar a recuperação da aérea. “O conselho sinaliza confirmar, por unanimidade, o seu total empenho para apoiar a gestão dos objetivos do plano de recuperação”, aponta Ball. “A redução radical de custos é a única forma para ter o apoio do banco em longo prazo e assegurar a estabilidade da empresa.”

Esse plano de recuperação, apresentado em dezembro, passa também pela criação de três mil novos postos de trabalho e abertura de 61 novas rotas.

A Etihad Airways, que adquiriu 49% das ações da Alitalia, está agora trabalhando com credores, bancos e acionistas para controlas os prejuízos econômicos e encontrar um caminho de recuperação operativa. Calcula-se que no ano passado a Alitalia teve um prejuízo de 450 milhões de euros, cifras que em 2017 poderia alcançar os 500 milhões.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA