Air France deve aumentar frequências no Brasil em 2017

|

PARIS - “O Brasil está de volta”. É o que considera a direção do grupo Air France-KLM. O vice-presidente executivo comercial de Vendas e Alianças do grupo, Patrick Alexandre, afirma que, após uma queda “considerável” em ocupação e vendas no País em função da crise econômica e política e da impressão deixada pelo terrorismo na Europa, desde novembro passado já se nota uma melhora também notável desses indicadores, o que deve resultar em uma ampliação das frequências da Air France no Brasil ainda em 2017.

Rafael Faustino
Na coletiva desta manhã: Alain Hervé Bernard, COO da Air France, Franck Terner, CEO da companhia francesa, Jean-Marc Janaillac, CEO do Grupo Air France KLM, Augustin Romanet, CEO e presidente do grupo ADP, que administra o Charles de Gaulle, e Frank Goldnadel, diretor do CDG
Na coletiva desta manhã: Alain Hervé Bernard, COO da Air France, Franck Terner, CEO da companhia francesa, Jean-Marc Janaillac, CEO do Grupo Air France KLM, Augustin Romanet, CEO e presidente do grupo ADP, que administra o Charles de Gaulle, e Frank Goldnadel, diretor do CDG

Não se estuda ainda novas rotas ou a retomada do voo entre Paris e Brasília, mas o aumento de 12 para 14 voos semanais para São Paulo (GRU), chegando a dois voos diários, e a implementação de mais frequências no Rio de Janeiro – ainda sem número exato. Tudo isso deve ocorrer “muito provavelmente” ainda neste ano, aproveitando a parceria com a Gol, segundo Alexandre.

O discurso positivo foi corroborado pelo CEO da Air France-KLM e presidente da Air France, Jean-Marc Janaillac, em coletiva nesta manhã no aeroporto Charles de Gaulle, em Paris, onde foram apresentadas várias melhorias implementadas no terminal e, em especial, no hub da Air France. “Percebemos uma melhora no tráfego vindo do Brasil após a resolução da situação política [envolvendo a ex-presidente Dilma Rousseff]. Estamos animados com isso e esperamos aprofundar nossas relações com a Gol no País”, garantiu Janaillac.

Rafael Faustino
Jean-Marc Janaillac elogiou a parceria da Ai France-KLM com a Gol
Jean-Marc Janaillac elogiou a parceria da Ai France-KLM com a Gol
Outro ponto de crescimento da aérea francesa no Brasil deverá ser no oferecimento de assentos de primeira classe – a La Première. Hoje, ela tem presença tímida nos voos envolvendo o País, mas uma alta procura, segundo Patrick Alexandre. O mercado brasileiro tem um dos maiores níveis de compra digital da primeira classe da Air France – em contraste com o que geralmente ocorre nesse nível de serviço, de compras via agentes e call center -, o que vai de acordo com a estratégia cada vez mais forte de digitalização dos negócios da aérea francesa, visando ganhar agilidade e reduzir custos.

“Temos uma forte competição de companhias aéreas na Europa e no Golfo Pérsico, mas contamos com algumas vantagens. Em especial nossos 12 voos diários para Amsterdã [hub da KLM] e uma grande rede de parcerias em todo o mundo, envolvendo a Skyteam, a Delta Air Lines no Estados Unidos, China Airlines, China Eastern e Xiamen Airlines na China, Jet Airways na Índia e Gol no Brasil”, citou Janaillac.

O Portal PANROTAS viajou a convite da Air France com proteção GTA.
Este empresa apoia o Fórum PANROTAS 2017
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA