Falha em sistema da British pode ter sido erro humano

|

Divulgação

Resolvido o problema
que afetou 75 mil passageiros da British Airways nos últimos dias, a companhia busca encontrar as causas da falha. As investigações estão concentradas em um dos dois centros de dados próximos ao aeroporto Heathrow, chamado Boadicea House.

No local, há um sistema de suprimento ininterrupto de energia, mas, na manhã do sábado, a eletricidade foi cortada no local, por razões ainda desconhecidas.

Em condições normais, o fornecimento de energia teria voltado e os computadores seriam religados gradualmente, enquanto o outro centro de dados da British assumiria as funções. Porém, quando a eletricidade voltou, ela danificou os servidores da companhia, que continham dados sobre consumidores, equipe, trajetória dos voos e outras informações operacionais, o que causou o transtorno.

Como a companhia que fornece energia no local nega ter havido interrupção de fornecimento, há a hipótese de que erro humano ou defeito em algum equipamento tenha motivado a falha.

O chefe executivo da companhia, Alex Cruz, lidera um inquérito para avaliar o que ocorreu. Cruz, todavia, é alvo de críticas por ter cortado a equipe de TI do Reino Unido e transferido as funções para a Índia, para reduzir custos.


*Fonte: Travel Mole

conteúdo original: bit.ly/2qABonz
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA