ECONOMIA E POLÍTICA

Falta emprego a 23 milhões de brasileiros, aponta IBGE


O Brasil chegou à marca de 22,9 milhões de cidadãos sem emprego, alcançando uma taxa de 21,2% no terceiro trimestre de 2016. Os dados são da Pesquisa por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), indicador que agrega a taxa de desocupação, a de desocupação por insuficiência de horas e da força de trabalho potencial, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e se diferencia da taxa de desemprego oficial.

No mesmo período em 2015, a taxa era mais baixa, tendo registrado 18% da população desempregada. Já no segundo trimestre do ano, o resultado foi de 20,9%, ou 22,7 milhões de brasileiros sem ocupação formal.

O maior número foi observado no Nordeste, com 31,4% de desempregados, enquanto a menor taxa foi registrada na região Sul, 13,2%. Bahia (34,1%), Piauí (32,6%) e Maranhão (31,9%) e Sergipe (31,9%) foram os estados com as maiores taxas de subutilização da força. Os menores resultados foram observados em Santa Catarina (9,7%), Mato Grosso (13,2%) e Paraná (14,2%).

De acordo com a Exame, a desocupação no Estado de São Paulo, ficou em 12,8%, no terceiro trimestre. O resultado é o mais alto da série histórica, que teve início em 2012. Na mesma época, no ano passado, o valor estava 9,6%. Já no segundo trimestre de 2016, o resultado foi de 12,2%.

Os dados gerais do IBGE, para o mercado de trabalho brasileiro registram um taxa de desocupação de 11,8% no terceiro trimestre do ano.


*Fonte: Exame e Agência Brasil

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA