CRUZEIROS

Royal Clipper: por dentro do maior veleiro do mundo; fotos


Maria Izabel Reigada
O maior veleiro do mundo, com suas velas recolhidas, na escala em Tanger, no Marrocos
O maior veleiro do mundo, com suas velas recolhidas, na escala em Tanger, no Marrocos

Neste momento, enquanto você lê esta notícia, o maior veleiro do mundo está exatamente como na foto acima: com suas 42 velas recolhidas, na escala que realiza em Palma de Mallorca, nas Ilhas Baleares da Espanha. Desde 2000, quando foi batizado pela rainha Sílvia, da Suécia, o veleiro Royal Clipper, da Star Clippers, é o maior do mundo, com seus 5,2 mil metros quadrados de velas distribuídas por cinco mastros – e inscritas no Guinness Book. Para até 227 passageiros, o veleiro iniciou na semana passada seus cruzeiros pelo Mediterrâneo, onde permanece até novembro, regressando depois ao Caribe.

Pelo Mediterrâneo, entre os portos que o Royal Clipper prepara-se para visitar, estão os franceses Bonifácio, na Córsega, e Cannes – além das viagens pela Riviera Francesa; Monte Carlo, em Mônaco, ainda neste mês, em data que coincide com o GP de Fórmula 1; e dezenas de escalas pela Itália, Montenegro, Croácia, Espanha e Marrocos, além de Portugal, entre outras. O Royal Clipper tem duas Owner´s Suites, na parte frontal do veleiro, com suíte, sala de jantar, frigobar incluído e claraboia com segunda cama. Há 14 cabines deluxe, as únicas com varandas; e apenas seis das 114 cabines totais são internas. As cabines standard têm como principais diferenças a disposição pelos três deques em que estão espalhadas.

Com quatro deques, o veleiro conta com spa, biblioteca, três piscinas, três bares (Tropical, Champagne e Piano Bar) e restaurante comandado por chef jamaicano que segue à risca os menus elaborados com sugestões do chef francês Jean Marie Meulien, premiado com três estrelas Michelin. Com opções vegetarianas, os cafés da manhã e almoços são em estilo bufê e os jantares, à la carte. Em todas as escalas são oferecidas excursões – que nem sempre podem atender ao gosto do passageiro brasileiro – e os idiomas da embarcação são o inglês, alemão e francês. Alemães e norte-americanos são as principais nacionalidades a bordo dos veleiros Star Clippers, que além do Royal conta com o Star Clipper e o Star Flyer.

Representada no Brasil desde novembro pela Cap Amazon, de Caroline Putnoki, a Star Clippers é membro Virtuoso e já trabalha no Brasil com pool de operadoras que oferecem tarifas diferenciadas na combinação das partes aérea e terrestre com o cruzeiro. Para a responsável pelo atendimento ao trade da Cap Amazon, Fernanda Sarubbi, os veleiros Star Clippers não têm concorrentes. “É como diz o slogan da empresa: é uma experiência única de velejar”, resume. “Utilizamos as velas o máximo de tempo possível”, conta o capitão do navio, o estoniano Sergey Utitsyn. O Royal Clipper tem motores, acionados sempre que os ventos são insuficientes, mas o que os passageiros esperam ansiosos é pelo içar das velas, realizado em cerimônia ao som da música Conquest of Paradise. É fácil sentir-se nas caravelas que partiram da Europa rumo ao novo mundo...

O Portal PANROTAS viajou a convite da Star Clippers e Cap Amazon, com proteção GTA.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA