ALTERNATIVO

Mil quilômetros: de carro por Brasil, Uruguai e Argentina

Flickr/jikatu
Rota Interbalneária na altura do Cerro Pan de Azúcar. Uma das estradas utilizadas no roteiro
Rota Interbalneária na altura do Cerro Pan de Azúcar. Uma das estradas utilizadas no roteiro

O fim de ano chegou. Cheque o documento do carro, a CNH, troque óleo e calibre pneus, sua próxima aventura poderá ser nas estradas de Brasil, Uruguai e Argentina. Nesse roteiro pelo cone sul americano, o Portal PANROTAS dá um passo a passo para aqueles dispostos a dirigir até a casa de nossos hermanos.

Se os cenários praticamente virgens encontrados nas beiras de estrada não forem o suficiente para lhe convencer, tente pensar na beleza das cidades visitadas, a riquíssima gastronomia local e a diversidade cultural vivenciada. O roteiro se inicia na capital gaúcha, Porto Alegre, já que a cidade tem ligação aérea direta ou com pelo menos uma conexão para diversos pontos do País.

DE PORTO ALEGRE A CHUÍ
Flickr/diego zingano
O encalhado navio Altair visto na Praia de Cassino
O encalhado navio Altair visto na Praia de Cassino

Esse roteiro utiliza, em sua primeira perna, a BR-101, que corta o Rio Grande do Sul por entre a Lagoa dos Patos e o Oceano Atlântico. O trecho liga Porto Alegre a Rio Grande, cidade histórica que abriga a Praia do Cassino – onde o navio Altair, que encalhou na década de 1970, completa o cenário. Porém, antes disso, algumas paradas podem ser uma opção, como a Lagoa do Bacupari ou o Parque Nacional da Lagoa do Peixe.

A viagem continua pela BR-471, que corta a Estação Ecológica do Taim, Santa Vitória do Palmar e, enfim, chega em Chuí, o último município brasileiro da rota. De lá, atravesse uma rua e você estará em Chuy, já em terras uruguaias.

DE CHUY A PUNTA DEL ESTE
Flickr/vincealongi
As praias são uma das atrações de Punta del Este, no Uruguai
As praias são uma das atrações de Punta del Este, no Uruguai

O destino agora é a capital do Uruguai, Montevidéu. Apesar de cruzada a fronteira, a riqueza dos cenários continua como uma constante. Pela Rota 9, que beira o litoral uruguaio, passa-se pelo Parque Nacional de Santa Teresa e suas praias, além do vilarejo de pescadores Punta del Diablo.

Para alcançar a capital daquele país, deve-se chegar à Rota Interbalneária. Para se manter pelo litoral, dirija até a cidade de Castillos, saia da Rota 9 e pegue a breve Rota 16. Ela acabará na Rota 10. De cara, é possível parar na praia de Valizas – com suas extensas dunas – ou buscar mais isolamento em Cabo Polônio (que o acesso é feito em 4x4).

Mais três horas de estrada e você estará enfim na Rota Interbalneária – ou melhor dizendo, na incrível Punta del Este, onde essa estrada se inicia. É necessário dizer que aí é uma ótima opção para se passar um dia cheio? Praias, vida noturna, restaurantes e a consagrada Casapueblo de Vilaró são algumas das inúmeras atrações do local.

DE MONTEVIDÉU A BUENOS AIRES
Flickr/ana_raquel
Montevidéu é a primeira capital do roteiro
Montevidéu é a primeira capital do roteiro

Duas horas mais de Rota Interbalneária e você chegará na capital. Montevidéu é parada obrigatória, já que as opções de entretenimento são diversas: Mercado do Porto, Praça Independência, Rambla e avenida 18 de Julho são alguns exemplos.

Colônia del Sacramento é o último ponto antes de deixar o Uruguai. É de lá que saem balsas para cruzar o Rio da Prata rumo a Buenos Aires. No entanto, Colônia não é apenas o ponto de partida para a Argentina. A charmosa cidade também merece um passeio com calma por suas ruas de pedra e intensa herança ibérica.

Para atravessar o Prata, as balsas demoram entre 50 minutos e três horas (a um custo que varia entre 95 e 220 reais por pessoa). Algumas poucas companhias transportam carros, por isso estacionar o veículo em Colônia del Sacramento é uma outra escolha possível.

EM BUENOS AIRES
Flickr/hernanpc
Obelisco em Buenos Aires, visto da avenida Corrientes
Obelisco em Buenos Aires, visto da avenida Corrientes

Uma vez cruzado o Rio da Prata, chega-se a Buenos Aires. Na capital argentina sobram opções de lazer. Todos os gostos podem são agraciados, do amante de história, passando pelo esportista ferrenho, até o apreciador de alta gastronomia. Escolha sua Buenos Aires e aproveite.

Ao fim da estadia, faça o caminho de volta ou escolha rotas diferentes no Uruguai (é possível subir para o Brasil utilizando apenas a Rota 9 desde Punta del Este) e no Brasil (ao fim da BR-471, o retorno alternativo pode ser feito pela BR-116 até Porto Alegre).

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA