DISTRIBUIÇÃO

Lucro líquido da Marriott cresce 9% no primeiro trismestre

Divulgação
Moxy Phoenix Tempe, no Arizona, nos Estados Unidos, é uma das novidades do portfólio da rede

A Marriott International divulgou os resultados financeiros do primeiro trimestre de 2016. O lucro líquido ajustado do período totalizou US$ 226 milhões, um aumento de 9% em relação ao lucro líquido do mesmo intervalo do ano anterior.

O lucro diluído por ação (EPS) em uma base ajustada, no primeiro trimestre, foi de US$ 0,87, um crescimento de 19% no EPS diluído em comparação com 2015. O lucro líquido ajustado e o EPS diluído ajustado para o período analisado em 2016 não incluem a cifra de US$ 10 milhões de custos de transição e de transação relativos à aquisição da rede Starwood.

"Estamos satisfeitos com nossos resultados do primeiro trimestre. O EPS diluído ajustado está bastante além das nossas expectativas. A Revpar global comparável aumentou 2,6% em dólar constante no trimestre", argumentou a presidente e CEO da Marriott International, Arne M. Sorenson.

"Continuamos com grande demanda por nossas marcas. Nosso pipeline de desenvolvimento aumentou para mais de 275 mil apartamentos no primeiro trimestre, em comparação com os 240 mil apartamentos do mesmo trimestre do ano anterior", completou.

A presidente também comentou a compra da Starwood. "A aquisição planejada da rede Starwood Hotels & Resorts está no caminho certo. Houve aprovação majoritária pelos acionistas de ambas as empresas das propostas relacionadas à fusão, e esperamos concluir o processo até meados de 2016", afirmou.

PORTFÓLIO ATUALIZADO
A rede hoteleira adicionou 68 novas propriedades (cerca de 10 mil apartamentos) ao seu portfólio de hotéis em todo o mundo no primeiro trimestre de 2016 Em contrapartida, doze propriedades (1,7 mil apartamentos) deixaram de fazer parte da rede no mesmo período.

O portfolio da Marriott ainda conta com cerca de 600 propriedades com mais de 104 mil apartamentos em construção e 188 propriedades, com aproximadamente 29 mil apartamentos aprovados para desenvolvimento, mas ainda sem contratos firmados.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA