ABIH vê “sinais de recuperação” de hotéis em Salvador

|

A rede hoteleira de Salvador teve ocupação média de 47,2% em agosto, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis da Bahia (ABIH-BA). A entidade destaca que, apesar de inferior ao mês de julho, quando as férias escolares levaram o setor a uma taxa média de 49,4% na cidade, o percentual representa uma melhora em relação ao primeiro semestre do ano.

A média das diárias na cidade foi de R$ 225,12 em agosto, resultando em um Revpar de R$ 106,41. Os números ainda deixam a hotelaria soteropolitana abaixo do desempenho do mesmo mês do ano passado, quando a taxa de ocupação foi de 53,5%

Wikicommons
Parte da orla de Salvador

O levantamento aponta que, dos quatro polos hoteleiros de Salvador – Itapuã-Stella Maris, Barra-Rio Vermelho, Centro-Pelourinho e Stiep-Pituba, os dois primeiros, mais voltados ao lazer, tiveram o melhor desempenho. Por outro lado, os dois restantes tiveram desempenho “sofrível”, de acordo com a associação. “Stiep-Pituba, particularmente, foi afetado pelo fechamento do único centro de convenções de grande porte de Salvador”, afirma a ABIH-BA, em seu comunicado.

O local deverá ser reaberto em outubro, e é um dos fatores que, junto com o índice crescente de ocupação, geram otimismo na entidade. “A crise continua, mas já é possível ter alguma expectativa de melhora a partir da promessa de reabertura do centro de convenções, da divulgação antecipada do calendário do réveillon, feira da primavera e outras atividades de melhoria na orla e nos pontos turísticos”, aponta o presidente da ABIH-BA, Glicério Lemos.

Lemos elogiou ainda o tratamento que o Turismo vem recebendo das autoridades baianas. “Parece haver maior sensibilidade por parte do setor público da importância do turismo como uma das principais atividades geradoras de emprego e renda da cidade”, afirma.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA