PESQUISAS E ESTATÍSTICAS

55% dos consumidores mobile no Brasil adquirem viagens

Já deixou de ser novidade que o brasileiro ama celulares, tablets e afins. Agora, a compra de serviços por esse meio tem se tornado uma novidade cada vez mais presente na vida do consumidor.

Uma pesquisa encomendada pela empresa de pagamentos on-line Paypal, em parceria com a Opinion Box, revela que o m-consumidor, expressão referente ao consumidor mobile, tem experimentado mais a compra de itens relacionados a Turismo e Viagens. Foram entrevistados 1.020 consumidores via dispositivos móveis de todo o País entre 26 e 28 de fevereiro, com idade a partir de 16 anos.

Ao todo, 55% dos brasileiros adeptos à plataforma compraram produtos – passagens aéreas, hotéis ou pacotes fechados – nos últimos 60 dias. Esse número é válido tanto para transações feitas via aplicativo ou sites responsivos.

Além desse item, o relatório apresenta as demais categorias: serviços (84%), produtos do dia a dia – roupas, supermercado, livros etc (76%), produtos de compras pontuais – móveis, eletrônicos, eletrodomésticos (75%), consumo digital – jogos e músicas (60%) e entretenimento (58%).

Henrique Santiago
Na home, Felipe Schepers, do Opinion Box, posa com Thiago Chueiri, do Paypal. Aqui, Schepers apresenta números da pesquisa
Na home, Felipe Schepers, do Opinion Box, posa com Thiago Chueiri, do Paypal. Aqui, Schepers apresenta números da pesquisa
Embora seja o segmento com maior porcentagem, vale destacar que o Turismo se beneficia indiretamente de serviços e entretenimento, pois transporte por meio de carros privativos e táxis, bem como a compra de ingressos para shows, foram colocados à parte.

É FÁCIL COMPRAR PELO CELULAR?
A democratização da internet 3G e 4G é indicada como um dos principais facilitadores para a compra de viagens, explica a pesquisa. Além disso, o consumidor mobile está mais familiarizado com a internet e as suas facilidades. Prova disso é que 2,7 bilhões dos 7,6 bilhões de pagamentos processos pelo Paypal foram em dispositivos móveis.

Mas ainda há uma grande lacuna a ser preenchida, segundo o Paypal. As compras via aplicativo só não são maiores porque 57% dos entrevistados têm preocupação em baixar apps, pois se preocupam com o espaço na memória do celular.

A experiência do usuário também é impactada, sobretudo quando o assunto é tamanho de tela, pois o consumidor procura um site que valorize as informações e os dados de maneira clara e objetiva.

“Em uma outra pesquisa feita por nós, revelamos que 30% dos nossos consumidores baixam um aplicativo nas últimas 24 horas e os mesmos 30% excluem essas funcionalidades nas próximas 24 horas”, destacou o diretor de Operações do Opinion Box, Felipe Schepers.

“Mas muitas vezes o aplicativo nem é tão pesado. O que ocupa muita memória são fotos, vídeos, aquele gif de bom dia que você recebe. E eles nem se preocupam em apagar isso”, completou, aos risos.

MIGRAÇÃO DE TELAS
O estudo revelou o fluxo de compras pela internet entre o desktop e os dispositivos móveis. Trinta por cento dos respondentes têm o hábito de iniciar uma compra celular e, por fim, encerra no computador. No sentido inverso, ou seja, começam no PC e notebook e finalizam em smartphones e afins, são 20%.

O material analisa, ainda, que 71% dos m-consumidores compraram produto nos últimos 30 dias, enquanto 29% o fizeram há mais de 60 dias. Desses quase três quartos que consumiram algo no raio de um mês, a quantidade de compras via mobile por participante foi de 4,85; já pelo computador foi menor, de 3,81.

O futuro, segundo projeta o Paypal, é que a compra mobile vai crescer e muito nos próximos anos. Fala-se em compra de produtos por meio de aplicativos de mensagens, como Whatsapp e Telegram, realidade em países da Ásia e do Oriente Médio. Mas ainda não se sabe quando essa novidade chegará ao Brasil.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA