Projeto Carbon Free: sustentabilidade e sentido de "propósito"

|

Por Marina Gouvêa, CEO da PRIMETOUR

Como tornar-nos parte da diferença que queremos ver no mundo? Foi em 2020, ano de transformações, que essa pergunta soou mais alto para nós. De que modo colaborar, ainda que começando pelo pequeno? Estes últimos anos nos levaram a ver com mais clareza que não existe o “bom só para mim”. Assim como não há fim de pandemia “para os meus” enquanto não houver diminuição do risco de morte para todos: só é bom para mim quando é bom para todos. O Projeto Carbon Free da PRIMETOUR nasceu movido por essas questões sobre o coletivo. Uma questão de despertar de consciência, não de compliance; de sentido de propósito, não de ESG. Nos convencemos de que se não for positivo para o time, o cliente, o fornecedor, os locais, a sociedade e a natureza, há um elo em falta.

Primetour
Mata Atlântica
Mata Atlântica
Hoje, nós plantamos uma árvore a cada passagem aérea internacional que vendemos! Fazemos isso em nome do cliente, e já estamos animados em ver o começo de uma “pequena floresta”! Tudo é feito em parceria com a ONG Iniciativa Verde, que acumula 3 milhões de árvores plantadas e ajudou a restaurar 15 milhões de metros quadrados de mata nativa brasileira. Foi também plantando árvores que, desde 2020, neutralizamos a nossa pegada de carbono: do transporte ao material de papelaria, da eletricidade à impressão de nossos livros. Chegamos a três mil plantios, e a meta é encerrar o ano nos aproximando de dez mil árvores.

O impacto da nossa ação foi reconhecido pelo prêmio Virtuoso 2021, que a indicou na categoria environmental, e estamos muito felizes por saber que nosso projeto tem tido uma influência positiva em outras empresas, parceiros e clientes. Celebramos essa transformação e nos sentimos honrados por podermos ser pontes. Um cliente deseja compensar o carbono de toda a viagem? Um colaborador se sente realizado por ter ajudado no reflorestamento? Quando podemos ser parte dessas histórias, do poder do coletivo, nos sentimos gratos.

Este artigo tem também este propósito: o de ser um convite aos demais agentes, agências, operadoras. Se você, colega do trade, quer conhecer o “caminho das pedras”, saiba que estamos de portas abertas ao diálogo, e que é com alegria que podemos compartilhar ideias, exemplos e ações. E queremos também ouvir: o que cada um de vocês tem feito, ou deseja implementar, em termos de sustentabilidade?

Porque parte do nosso esforço não está no interior da Mata Atlântica, mas bem mais perto: é o empenho em engajarmos mais e mais pessoas. Sabemos que essa consciência já foi despertada, e estamos descobrindo maneiras de fomentá-la. Podemos ajudar a indicar o caminho para o cliente. Um caminho que ele já deseja traçar, mas não sabe como. Em nosso website, por exemplo, criamos uma marcação para indicar os projetos sustentáveis. Hospedar-se em um local com políticas regenerativas é um jeito de estar do lado de quem faz. Levar na mala materiais escolares, visitar um orfanato local, ajudar a plantar corais... Criando caminhos, quem sabe colaboramos para a construção de uma nova cultura, focada em um bem maior.

Primetour
Baa Atoll, Maldivas
Baa Atoll, Maldivas
Pois do pequeno se chega ao grande. A Fregate Private Island salvou uma espécie de pássaro da extinção. A rede Soneva, além de plantar centenas de milhares de árvores e prover água limpa a quase um milhão de pessoas, neutraliza o footprint doando fornos a povoados do Sudão e de Myanmar, o que diminui o corte de árvores e a poluição causada pelo excesso de fumaça. Win win!

Já quem se hospeda em um Singita pode se alegrar por ser parte de um projeto de reintrodução de rinocerontes e provisão de alimentos a milhares de crianças. Estamos agora de olho no recém-anunciado Six Senses Svart, na Noruega, que nasce com a promessa de ser o primeiro empreendimento turístico que produz mais energia (solar!) do que gasta. Estimulando a igualdade de gênero, declarando guerra ao plástico, patrocinando pesquisas científicas, há locais em que as palavras “sustentabilidade” e “responsabilidade social” não são discurso vazio. Há artesãos recebendo apoio para manter vivas suas heranças culturais, jovens recebendo educação... Porque lazer e propósito podem caminhar lado a lado.

É assim que as forças se somam, e a roda do mundo gira – para melhor. Estamos tentando dar a nossa contribuição para que, compartilhando um propósito, todos possamos sair ganhando. Vamos juntos?

Fale com a PRIMETOUR: primetour.com.br
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA