AVIAÇÃO

Latam passa a cobrar por escolha de assento em voos inter


Divulgação
A Latam irá implementar, a partir da próxima quarta (13), a venda de escolha de assentos na classe econômica de voos internacionais com operação a partir do dia 17 deste mês. A venda estará disponível para todos os passageiros com tarifas Promo e Light. As rotas entre Santiago (SCL)-Ilha de Páscoa (IPC) e Santiago (SCL)-Papeete (PPT), assim como todos os bilhetes Premium Pass/Fidelidade, e nas tarifas Top e Plus, mantêm a marcação de assento sem custo.

Confira a seguir comunicado da aérea na íntegra:

“A Latam Airlines Brasil informa que o valor cobrado pela escolha do assento em voos nacionais é de R$ 20 para clientes que comprarem na tarifa Light e R$ 30 para bilhetes adquiridos na tarifa Promo. Em voos para os Estados Unidos, Europa e Ásia, o valor cobrado é de US$ 15 para clientes que comprarem na tarifa Light e US$ 20 para bilhetes adquiridos na tarifa Promo. Já os clientes que voam do Brasil para os países da América do Sul e México, custará US$ 6 e US$ 8 para os clientes que comprarem na tarifa Light e Promo, respectivamente.

Os passageiros têm possibilidade de realizar o pagamento com cartões de crédito e débito pelo site da empresa ou diretamente no aeroporto. Não pagam pelo serviço os clientes Latam Fidelidade das categorias Black Signature, Black e Platinum, além de passageiros com bilhetes comprados nas tarifas Top e Plus. Em voos internacionais, clientes com bilhetes adquiridos antes de 13 de fevereiro para voos após 17 de fevereiro também não pagam pelo serviço.

A escolha do assento poderá acontecer desde o momento da compra do bilhete até 40 minutos antes do horário de partida do voo nacional ou internacional. Para os passageiros que optarem por não escolher previamente o seu assento, a seleção será feita de forma automática cerca de 48 horas antes do voo.

As alterações fazem parte da nova experiência que a empresa começou a oferecer em 2016, quando promoveu alternativas de perfis de tarifas para que os passageiros paguem somente pelo serviço que utilizam ou valorizam".
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA

As mais lidas agora