Confira 10 tendências para as viagens corporativas do futuro

|

Shutterstock
As tendências de viagens corporativas indicam que não há substituto para os encontros presenciais
As tendências de viagens corporativas indicam que não há substituto para os encontros presenciais
As viagens corporativas continuam sendo um aspecto crucial de um negócio. Apesar dos avanços na tecnologia, as tendências de viagens a negócios indicam que não há substituto para interações face to face. As viagens também podem apoiar iniciativas de negócios para networking, desenvolvimento de habilidades e recrutamento. No entanto, a presença da covid-19 prejudicou alguns desses planos de viagem, o que alerta para a importância das avaliações de risco e possíveis mudanças em viagens futuras.

Nesta previsão de viagens corporativas elaborada pela Finances Online, você pode ler sobre a direção em que o setor está se movendo, incluindo estatísticas de viagens a negócios. Este setor experimentou um declínio de 52% durante os primeiros meses da pandemia, mas com a recente implantação de vacinas, espera-se que os gastos com viagens anegócios aumentem para US$ 842 bilhões em 2021, o que representa um aumento de 21%. A maioria das empresas até relatou que está considerando retomar seus planos de viagens corporativas para 2021, embora ainda não haja planos definidos, de acordo com a GBTA.

Uma das principais mudanças a serem antecipadas é o surgimento de um novo tipo de viajante corporativo. Os membros da Geração Z estão assumindo o local de trabalho, e as previsões apontam para que essa faixa etária represente cerca de 40% da força de trabalho até 2021. No final de 2024, espera-se que os gastos com viagens a trabalho atinjam US$ 1,4 trilhão e se recuperem totalmente da pandemia no ano seguinte. A essa altura, os millennials e a geração Z farão grande parte das viagens, devido as suas respectivas participações na força de trabalho.

Essa mudança na demografia dos viajantes corporativos influenciou a previsão global de viagens a negócios nos próximos anos. Muitas tendências de viagens a negócios giram em torno da tecnologia e suas habilidades para permitir o autoatendimento e tornar as viagens perfeitas. Confira abaixo dez tendências levantadas.

1. Negócios são quase sempre misturados com prazer

O aumento das viagens de bleisure prova ser um dos resultados mais significativos da mudança demográfica nas viagens corporativas, e essa tendência deve continuar em meio às vacinações contra a covid-19. Com a força de trabalho cada vez mais jovem, mais funcionários procuram fazer mais do que trabalhar durante suas viagens fora do escritório.

Embora 92% das organizações tenham suspendido as viagens a negócios durante os primeiros meses da pandemia, os números pré-pandemia sugerem que 90% dos viajantes da geração do milênio adicionaram componentes de lazer aos seus negócios. Isso pode muito bem ocorrer em 2021, já que as vacinas covid-19 já estão disponíveis.

Os viajantes Bleisure fazem essas viagens uma vez a cada dois ou três meses. Mais da metade dos viajantes de corporativos internacionais planeja estender as viagens a negócios para acomodar atividades de lazer em seu destino.

As empresas do setor de Turismo podem capitalizar essa tendência concentrando suas campanhas de marketing em atrações e eventos turísticos locais.

2. Acomodações não convencionais

Outra tendência de viagens a negócios influenciada pela nova geração de viajantes corporativos é a crescente popularidade das acomodações não convencionais. Os viajantes tornaram-se mais abertos a considerar ficar em outro lugar que não os hotéis tradicionais de redes. Mais estão optando por ficar em apartamentos e outras acomodações que têm uma sensação mais caseira.

Hotéis boutique menores e acomodações semelhantes a casas, como as oferecidas pelo Airbnb, desfrutam de uma popularidade crescente entre os viajantes a negócios hoje. Por exemplo, mais de 70% dos viajantes corporativos millennials ficaram em um aluguel de temporada durante viagens a negócios.

Essas acomodações não tradicionais oferecem oportunidades para explorar o destino de novas maneiras. Mais viajantes também ficam mais distantes do centro da cidade, pois priorizam o conforto e a proximidade com as atividades de lazer.

3. A reserva automática está se tornando a norma

Mais viajantes corporativos optam por reservar opções de viagem e acomodações por conta própria. De acordo com pesquisas recentes, 68% dos funcionários reservam viagens a negócios por meio de ferramentas não aprovadas pela empresa em vez de buscar os serviços de um agente de viagens. Afinal, existem inúmeras opções de auto-reserva que os profissionais de negócios podem aproveitar. Essa tendência também pode ser outra ramificação da mudança geracional em viajantes corporativos. Afinal, os millennials preferem a auto-reserva quando viajam para encontrar voos e acomodações que atendam as suas preferências.

Em alguns casos, as corporações pressionam pela auto-capacitação e fornecem ferramentas que ajudam os funcionários a resolver problemas. Quando essas ferramentas de autoatendimento falham, porém, os viajantes corporativos continuarão a contar com o atendimento ao cliente de um agente. Isto é particularmente verdadeiro quando surgem emergências, como em casos de voos cancelados. Os viajantes corporativos também tendem a contar com um humano para suporte em questões mais complexas, como vistos.

4. Políticas de viagens corporativas mais flexíveis

Quando foi a última vez que você olhou para a política de viagens corporativas da sua empresa? Há uma boa chance de que algumas dessas políticas precisem de ajustes, defende a Finances Online. As tendências recentes de viagens a negócios indicam que mais viajantes corporativos estão “se tornando desonestos”. Isso significa que os viajantes agora estão mais propensos a sair dos canais aprovados pelo empregador ao reservar propriedades e transporte para suas viagens.

Os viajantes corporativos precisam de um processo de reserva que proporcione melhor disponibilidade e permita escolher entre mais opções de propriedades e tarifas. Combinada com as preferências emergentes por acomodações não convencionais, a necessidade de opções de reserva mais variadas faz com que as políticas de viagens corporativas se tornem mais flexíveis.

A boa notícia é que as empresas que oferecem uma infinidade de opções de viagem desfrutam de taxas de adoção mais altas para seus programas de viagens corporativas. Permitir que os funcionários façam escolhas alinhadas as suas necessidades e preferências incentiva uma cultura de transparência e reforça a confiança entre empregadores e funcionários.

Preocupado em controlar os gastos com viagens e capacitar os viajantes de negócios a fazer suas próprias escolhas? A tecnologia agora permite que as empresas adotem uma política de viagens dinâmica. Uma política dinâmica de viagens corporativas se ajusta de acordo com as opções disponíveis no momento da reserva. Dessa forma, os viajantes a negócios ainda poderão fazer suas próprias escolhas, respeitando as políticas da empresa.

No que diz respeito à flexibilidade, videoconferências e teleconferências também se tornaram alternativas durante a pandemia, com 31% dos funcionários afirmando que as configurações remotas são tão eficazes quanto as viagens a trabalho.

5. A tecnologia continua a revolucionar as viagens corporativas

A tecnologia desempenha um papel central na previsão global de viagens a negócios. A tecnologia móvel atualmente responde por 39% das reservas de hotéis e 22% das reservas de passagens aéreas. Esses números provavelmente crescerão com a próxima atualização para a internet sem fio 5G. Além disso, uma vez que as restrições de viagem da covid-19 diminuam, essa tendência tecnológica provavelmente continuará.

Os viajantes corporativos internacionais podem esperar menos tempo esperando nas filas do aeroporto, graças à tecnologia de reconhecimento facial que acelera os protocolos de imigração e os procedimentos de controle de fronteiras. Outras tecnologias biométricas que estão sendo cada vez mais usadas nos aeroportos incluem a digitalização de impressões digitais e retina.

A tecnologia de interrupção de viagem também está evoluindo para minimizar o incômodo causado por voos e trens atrasados. Os provedores de tecnologia de viagens agora podem fornecer atualizações de viagens em tempo real para os dispositivos móveis dos viajantes. Dessa forma, eles podem ajustar seus planos de acordo e minimizar o tempo de inatividade.

O acesso mais rápido à internet a bordo também está em andamento. Fornecedores de viagens e operadoras de rede móvel estão trabalhando juntos para trazer internet de alta velocidade para a cabine. Com essa tecnologia, os funcionários podem se manter produtivos mesmo durante voos de longa distância.

A tecnologia também foi além dos aeroportos e estações de trem para facilitar as viagens a negócios. Os viajantes agora podem desfrutar de processos automatizados de check-in e check-out. Essas tecnologias permitem que eles peguem a chave do quarto ao chegar ao hotel e sigam direto para o quarto. O faturamento centralizado pode poupar os viajantes do incômodo de ter que calcular os custos de despesas separadamente.

6. A ascensão da IA, realidade virtual e assistentes inteligentes

Tecnologias mais avançadas, como inteligência artificial (IA) e realidade virtual, estão prontas para trazer mais mudanças ao setor de viagens corporativas. Os fornecedores de viagens podem usar essas tecnologias para descobrir as preferências dos viajantes de negócios e aproveitar as oportunidades de upselling. A realidade virtual também está prevista para permitir a personalização, permitindo que os hóspedes ajustem os quartos com base no seu gosto.

Os próximos anos também apresentam muitas possibilidades para assistentes inteligentes como Siri, Cortana e Google Now. Esses assistentes são capazes de lidar com tarefas mais complexas, como fornecer atualizações de itinerários durante interrupções e recomendar serviços. Todas essas tecnologias beneficiarão muito os viajantes a negócios que desejam maximizar seu tempo durante a viagem.

7. Blockchain: o futuro das viagens corporativas

Espera-se também que o Blockchain melhore a segurança para viajantes corporativos até 2021. Os protocolos de segurança integrados do Blockchain o tornam a tecnologia perfeita para tornar as viagens o mais convenientes e perfeitas possível.

A tecnologia facilita o armazenamento e o acesso aos dados. A disponibilidade constante de informações é crucial, pois o setor de viagens depende da troca de informações entre as empresas. Por exemplo, agentes de viagens passam informações de clientes para hotéis e companhias aéreas.

O Blockchain possibilita coletar todas as informações envolvidas no processo de viagem – desde as preferências dos viajantes até preços de voos e tarifas de hotéis – em um arquivo que é duplicado em vários computadores. E como a tecnologia descentraliza os dados e os organiza em blocos permanentes, o blockchain oferece mais segurança. As informações de viagem estão sempre disponíveis e protegidas contra erros do usuário ou ataques de segurança cibernética.

As empresas do setor de Turismo e hospitalidade também podem aproveitar a tecnologia blockchain para rastreamento de bagagem, serviços de identificação e esquemas de fidelidade do cliente. Criptomoedas como Bitcoin também podem em breve ser aceitas como pagamentos por empresas de viagens.

8. As viagens a negócios são um privilégio

Outro aspecto importante da previsão de viagens a negócios é o fato de que a maioria dos funcionários agora vê as viagens corporativas como um privilégio. De acordo com pesquisas, os viajantes internacionais consideram as viagens valiosas para o crescimento profissional e pessoal.

Compondo o maior segmento da força de trabalho, os millennials também estão mais dispostos a viajar, pois consideram uma experiência enriquecedora. Da mesma forma, os funcionários que viajam geralmente se sentem mais capacitados e engajados. As viagens podem até ajudar a melhorar a confiança e as habilidades de relacionamento interpessoal.

Mais empresas estão reconhecendo esses efeitos e vendo a ligação entre as viagens a negócios. Um programa de viagens corporativas robusto e dinâmico pode ser usado como uma ferramenta para incentivar o engajamento dos funcionários, melhorar a retenção de funcionários e impulsionar o crescimento organizacional.

9. Anos mais lentos para viagens corporativas e Turismo de negócios

O crescimento das viagens a negócios pode finalmente começar após uma séria desaceleração em 2020 devido à pandemia. E espera-se até que a indústria faça uma recuperação completa. No entanto, certas práticas na era da covid-19, como videoconferência e outras alternativas remotas, provavelmente permanecerão, pois 31% das organizações as consideram tão eficazes quanto viagens reais, com custos muito mais baixos.

De fato, 43% dos viajantes corporativos já esperam viajar menos após a pandemia. Além das razões financeiras, a pandemia devastou as economias e nem todos os países mostraram uma resposta adequada à disseminação contínua do coronavírus. Além disso, o lançamento de vacinas está concentrado em países desenvolvidos, portanto, projetos em países em desenvolvimento provavelmente seriam cancelados ou pelo menos atendidos com rígidas restrições de viagem.

Como tal, 61% dos funcionários preferem aproveitar as plataformas de videoconferência do que se aventurar fisicamente em outras terras.

10. Novos mercados de viagens estão surgindo

Novos países estão tomando fatias maiores do mercado em gastos com viagens a negócios. Mais viajantes corporativos estão voando para a Índia e a Indonésia, com esses países apresentando crescimento de mercado de 11,3% e 8,7%, respectivamente. Superando a Coreia do Sul em gastos com viagens corporativas em 2017, espera-se que a Índia entre nos cinco principais mercados de viagens a negócios até 2022. Um relatório sugere que a Ásia se tornou o maior mercado de viagens a trabalho do mundo, embora os Estados Unidos superem todos os gastos por uma ampla margem.

Suécia e Noruega, com respectivas taxas de crescimento de mercado de 6,8% e 6,6%, também estão se tornando rapidamente destinos populares de viagens a negócios. A China, no entanto, continuará dominando o mercado de viagens corporativas, com um gasto anual projetado de US$ 129 bilhões até 2022.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA