Assim como compliance, auditoria é essencial para eventos

|

Compliance: a palavra de ordem agora é auditoria financeira em eventos? Além de estar de acordo com um conjunto de procedimentos e regras, é também muito importante fiscalizar se as normas estão sendo, de fato, cumpridas e identificar oportunidades de melhoria. Este foi um dos temas debatidos hoje nas sessões educacionais do Lacte 13.

Emerson Souza
Vitor Ditommaso, da BRF, Davi Serafim, da Roche, e José Marques, da Academia de Viagens Corporativas
Vitor Ditommaso, da BRF, Davi Serafim, da Roche, e José Marques, da Academia de Viagens Corporativas
“A auditoria vem sendo uma maneira de encontrar savings, mas também uma aliada. Ela ajuda a encontrar oportunidades para o futuro e a melhorar o processo e acredito que ela vem sendo realmente uma parceira, não somente uma forma de criticar o que foi feito”, opina o controlador de Negócios da Roche, Davi Serafim.

Na BRF a auditoria também é bastante utilizada, mas também serve como prevenção. “As melhores práticas são demonstradas nesse processo e, com isso, reviso o modelo. É algo orgânico e deve estar disponível para todo mundo da companhia”, afirma o líder de Compras de Viagens e Eventos Corporativos da BRF, Vitor Ditommaso. E, com essa prevenção, se tem conduta correta.

Outra questão importante é a existência de uma política dentro da empresa. É necessário haver um conjunto de regras e é imprescindível que ele seja claro, transparente para todos os colaboradores. As pessoas precisam ter acesso a ela. “Não adianta ter área de compliance e não ter regras”, diz Ditommaso.

“O sucesso do compliance é quando cada pessoa dentro da corporação tem as regras internalizadas e consegue decidir sem checar o checklist, sem perguntar para o departamento se pode fazer. É saber as políticas e conseguir conduzir”, explica Serafim.

Muitas empresas vêm investindo justamente na parte educacional de compliance. Educar os funcionários, mostrando o que pode ser feito, pois muitas vezes ele não se dá conta de que algo pequeno pode estar errado. “Temos feito palestras que instigue o colaborador a cumprir as regras”, finaliza Serafim.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA