Eventesse aposta em eventos presenciais de até 50 pessoas

|

Antes de a pandemia de covid-19 chegar ao Brasil, o mercado de eventos tinha perspectivas muito positivas. Segundo um estudo da Abeoc, a estimativa de crescimento do setor para 2020 era de até 18%. Mas, com a crise sanitária, a realização dos eventos presenciais precisou ser interrompida. Com isso, 98% das empresas do setor foram afetadas, de acordo com dados fornecidos pela Ubrafe e Abeoc. Estima-se que o segmento tenha absorvido um prejuízo da ordem de R$180 a R$ 220 bilhões nesses 16 meses de paralisações.

Divulgação/Eventesse
Milena Sakamoto, diretora da Eventesse
Milena Sakamoto, diretora da Eventesse
Com a chegada das vacinas e o processo de aceleração na imunização da população, as projeções para a retomada do mercado são, agora, otimistas. De acordo com o Portal Feiras do Brasil, 75,5% dos profissionais do setor pretendem organizar feiras e eventos ainda em 2021; 55,4% acreditam que será um ano de crescimento gradual e estabilidade; 71% dos entrevistados afirmam que a aplicação de rígidos protocolos reduzirá nas pessoas e nas empresas o temor em participar de eventos presenciais; 64% acham que a aplicação destes protocolos vão viabilizar a realização de feiras e eventos tradicionais antes mesmo da imunização completa da população.

A Eventesse, agência que presta assessoria para eventos, viagens de incentivo e marketing promocional, vem acompanhando a movimentação destes mercados e aposta nas boas perspectivas que chegam com algumas tendências percebidas para os próximos anos e que prometem transformar um pouco o cenário de eventos. Para a diretora da empresa, Milena Sakamoto, três tendências que deverão permanecer até o fim de 2021 são:

Micro-eventos presenciais
Com o controle da pandemia e a menor circulação do vírus, será possível retomar os eventos presenciais, de até 50 pessoas, de forma gradual e para um número menor de participantes, o que passam a ser chamar de micro-eventos. Desta forma, o formato presencial será usado para experiências exclusivas, em muitos casos destinados a grupos menores de pessoas e nichos específicos, potencializando a jornada dos participantes.

Manutenção dos protocolos de segurança
Mesmo com a vacinação acontecendo e o aparente controle da pandemia, ainda será preciso manter os protocolos de segurança, decisivos para as pessoas sentirem-se confiantes para participar dos eventos presencialmente. Espaços bem ventilados, que impeçam aglomerações, serão regra. Além disso, continua valendo a disponibilização de álcool em gel, higienização dos itens e dos próprios espaços e o uso ininterrupto de máscaras continuarão presentes, bem como os testes prévios de covid-19 para todos os participantes, principalmente para o staff envolvido.

Eventos híbridos
Para completar a lista, o que os especialistas apontam como a principal tendência: a permanência dos eventos híbridos, com este formato sendo cada vez mais utilizado pelo mercado. Segundo estudo da VM Consultoria e da SSK Análises, o modelo híbrido é atrativo para 83% dos organizadores de eventos e, para a maioria deles, o modelo será cada vez mais solicitado.

“Temos certeza de que a recuperação do mercado de eventos corporativos já está acontecendo e estamos prontos para essa retomada. Nossa grande aposta serão os eventos para até 50 pessoas, com personalização extrema das experiências e conteúdos, os quais proporcionarão maior aprendizado e memória afetiva dentre os participantes”, diz Milena.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA