Corporativo: Cargill une política rígida e bem-estar do viajante | Gestão de viagens | PANROTAS
GESTÃO DE VIAGENS

Corporativo: Cargill une política rígida e bem-estar do viajante

Com mais de 150 mil funcionários, a Cargill está em 72 países. Para dar conta de toda a sua operação, a empresa tem de 20 e 25 mil viajantes a cada ano e gasta cerca de US$ 52,5 milhões apenas com passagens aéreas.

Por trás de toda essa estrutura, está a gestora global de Viagens da Cargill, Fiona Lapoint, terceira entrevistada do Connect Stories, série produzida pela PANROTAS, em uma iniciativa da Gol, Delta e Air France-KLM. Fiona recebeu o editor-chefe da PANROTAS, Artur Luiz Andrade, para uma conversa em Minneapolis sobre os desafios da gestão de viagens atualmente.

Para a executiva, os profissionais que trabalham com viagens corporativas em empresas precisam considerar não só o preço, mas também o tempo e a experiência do viajante. A Cargill tem apostado em ferramentas, como aplicativos de mensagens, para garantir uma satisfação maior dos colaboradores em trânsito.

Além disso, ainda que a empresa tenha uma política de viagens clara e bem definida, é possível flexibilizar em alguns casos. "O mais difícil para qualquer política em qualquer empresa é compliance. Assim, você pode ter uma política, mas garantir que seus viajantes a sigam e possam fazer um relatório e o registro disso é um dos desafios enfrentados pelo gestores de viagens", afirmou.

BRASIL
A América Latina é um mercado importante para a Cargill, especialmente o Brasil, onde fica a sede da empresa na região. Cerca de 60% dos gastos da corporação com viagens na América Latina estão no País. Para isso, a gerente regional no Brasil ajudou a mapear os hotéis que recebem os executivos da empresa, sendo que alguns são independentes, uma dificuldade da região.

Assista à entrevista na íntegra:


 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA