Os números de Airbnb e dos hotéis pelo mundo; veja estudo

|


Divulgação

O Airbnb é hoje a maior rede de hospedagem do mundo. Duvida? Pelo menos é o que aponta um estudo realizado pela STR sobre a empresa de compartilhamento de residências e a hotelaria. Segundo a pesquisa, o inventário conta com três milhões de quartos distribuídos em todo mundo, quase o triplo da Marriott e seus 1,1 milhão de apartamentos.

O documento analisou informações coletadas de dezembro de 2013 a julho de 2016. Ao longo desses 32 meses, 13 mercados globais foram estudados: Barcelona, Boston, Cidade do México, Londres, Los Angeles, Miami, Nova Orleans, Paris, São Francisco, Seattle, Sidney, Tóquio e Washington DC.

A ocupação no Airbnb, segundo a STR, chegou a níveis mais altos em destinos em que os hotéis têm altos índices de quartos comercializados. Entre julho de 2015 e 2016, Tóquio teve alcance de 61,5%, o maior entre os 13 mercados, e despontou na segunda colocação em hotéis, com 84,8%.

Em relação a preços, as redes hoteleiras têm valores mais altos do que o site de economia compartilhada. Para se ter uma ideia, nos sete mercados dos Estados Unidos, os hotéis apresentaram tarifas 34,8% mais altas em “noites de compressão”, ou seja, períodos nos quais mais de 95% dos quartos estão ocupados, do que o Airbnb.

Por outro lado, a STR avaliou que os hotéis têm um nível de ocupação significativamente maior do que no Airbnb. Novamente entre julho de 2015 e 2016, a taxa mais alta foi em Sidney (85,4%) e mais baixa na Cidade do México (68,7%). Na empresa de economia compartilhada, Tóquio teve o melhor desempenho, como mencionado acima, e a Cidade do México teve menos de 20%.

Confira mais detalhes nos gráficos abaixo:
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA