Reino Unido vai abandonar formulários impressos de pax

|

A estimativa é que seja economizado dos cofres públicos cerca de 3,6 milhões de libras esterlinas por ano
A estimativa é que seja economizado dos cofres públicos cerca de 3,6 milhões de libras esterlinas por ano
Em um futuro próximo, cidadãos não-europeus não precisarão mais preencher aquele tradicional formulário impresso com informações pessoais — que incluem detalhes sobre nacionalidade, profissão e razão da estada – para entrar na Grã Bretanha. Em vez disso, a partir de outubro, o questionário deverá ser respondido previamente à viagem em um sistema digital, a fim de facilitar o processo de entrada dos passageiros.

De acordo com o governo, a nova medida deverá economizar cerca de 3,6 milhões de libras por ano dos cofres públicos, além de facilitar o trabalho da segurança dentro e fora dos aeroportos. São cerca de 16 milhões de pessoas de fora da União Europeia que chegam aos países britânicos ao ano. O ex-diretor do Ministério do Interior, David Wood, destacou ao The Times que a mudança será positiva em casos de investigações, e esclarecendo que a segurança não seá comprometida.

"Ainda será possível acessar os 'cartões digitais' para descobrir onde o visitante está hospedado, caso ele seja alvo de alguma investigação ou seja suspeito de alguma atividade ilícita", alega.

No entanto, ainda que o passageiro tenha se livrado do preenchimento durante o voo, eles ainda terão a entrada controlada pelos agentes de imigração. "Estamos otimizando a tecnologia nas fronteiras, além de facilitar o trabalho das equipes de segurança e reduzir as papeladas desatualizada de muitos passageiros", afirma o ministro da Imigração, Brandon Lewis.

A medida tem previsão para entrar em vigor durante o outono europeu (primavera no hemisfério sul). Mas, antes do agendamento oficial, serão realizadas reuniões com companhias aéreas e equipes de segurança para discutir como implementar as mudanças.


*Fonte: Express

conteúdo original: http://bit.ly/2uCyfB0
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA