Movida

Karina Cedeño   |   05/09/2023 11:00   |   Atualizada em 08/09/2023 11:33

86% dos brasileiros querem viajar a negócios, aponta SAP Concur

E, segundo levantamento, 32% dos viajantes corporativos do Brasil pretendem reduzir seu impacto ambiental


PANROTAS / Emerson Souza
Denis Tassitano, vice-presidente de SAP Concur para América Latina e Caribe
Denis Tassitano, vice-presidente de SAP Concur para América Latina e Caribe

A 5ª edição da “Pesquisa Global de Viagens de Negócios” da SAP Concur mostra que a maioria dos viajantes corporativos brasileiros quer pegar a estrada nos próximos 12 meses. De acordo com o levantamento, 86% estão muito dispostos a viajar (em comparação com 67% globalmente), um aumento de 11% em relação aos 75% do ano passado. Contudo, 54% não estão satisfeitos com a frequência de suas viagens, com 28% viajando mais do que gostariam, um aumento de 15 pontos sobre os 13% de 2022.

Os dados nacionais também mostram que:

  • 95% dos entrevistados recusariam uma viagem a negócios por algum motivo, como segurança ou preocupações sociais, citando viajar para certas partes do mundo (51%) e preocupações com a saúde ao viajar para um destino (41%) como os motivos mais comuns;
  • Além disso, 38% recusariam uma viagem a trabalho que não tivesse flexibilidade para fazer ajustes fora da política da empresa;
  • 57% dos brasileiros que viajam a negócios têm saúde e segurança como seus maiores receios e 60% deles mudaram sua hospedagem durante a viagem nos últimos 12 meses por não se sentirem seguros de alguma forma;
  • 26% disseram ter sentido medo durante uma viagem corporativa, especificamente (37%) devido a conflitos locais ou internacionais atuais;
  • Mais de um quarto (27%) cita a inflação como uma das maiores ameaças às viagens de negócios hoje. Segundo os dados, 83% das pessoas já foram afetadas pela incerteza econômica, incluindo reduções nos orçamentos de viagens (54%) e viagens noturnas, sendo esta última exigindo mais retornos no mesmo dia (37%);
  • Um dado relevante da pesquisa é que os viajantes pretendem reduzir seu impacto ambiental combinando viagens próximas em uma mais longa (32%) e priorizando viagens com distâncias mais curtas (31%). Na verdade, quase 1 em cada 5 (18%) recusaria uma viagem pelo impacto ambiental que ela provoca.


“A pesquisa mostra que tanto no Brasil como no mundo as pessoas estão com mais vontade e disponibilidade de viajar a negócios, o que é um bom sinal para este setor, que movimenta vários outros aspectos da economia, como transporte, hotelaria e alimentação, por exemplo. Percebemos também que os viajantes estão mais conscientes e desejam viajar com tranquilidade e responsabilidade socioambiental”, afirma o vice-presidente de SAP Concur para América Latina e Caribe, Denis Tassitano.

Para 97%, o futuro de suas carreiras depende de viagens corporativas bem-sucedidas no próximo ano, incluindo estabelecer relacionamentos com novos clientes (47%), manter relacionamentos fortes com clientes existentes (46%) e acompanhar as últimas tendências, tecnologias e avanços (45%).

Quase 3 em cada 4 viajantes brasileiros não tiveram oportunidades iguais para viagens a negócios (70%), especialmente devido ao local onde vivem atualmente (16%), por conta da frequência com que vão ao escritório (16%), e devido ao seu gênero (38%), em comparação com 17% globalmente, o mais alto de todos os mercados pesquisados.

A pesquisa global de viajantes a negócios da SAP Concur foi realizada pela Wakefield Research entre 7 e 28 de abril de 2023, com 3.850 viajantes corporativos em 25 mercados: EUA, Canadá, Brasil, México, América Latina (Colômbia, Chile, Peru e Argentina), Reino Unido, França, Alemanha, região da Austrália e Nova Zelândia, região de Cingapura e Malásia, China, Hong Kong, Taiwan, Japão, Índia, Coreia, Itália, Espanha, Dubai, Benelux (Bélgica, Holanda e Luxemburgo), África do Sul, Suécia, Dinamarca, Noruega e Finlândia.

Tópicos relacionados

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA

Mais notícias