Movida

Rodrigo Vieira   |   26/02/2024 12:36   |   Atualizada em 26/02/2024 13:22

O que querem os viajantes corporativos? Veja pesquisa PANROTAS e Trend

Anuário PANROTAS de Eventos e Viagens Corporativas traz pesquisa exclusiva sobre o segmento

Os viajantes corporativos voltaram aos céus e estradas e estão com novas demandas, saudades de velhos hábitos e inquietos com as novas tecnologias. Ouvir o que eles precisam, desejam e querem é fundamental para o sucesso de empresas, TMCs e fornecedores.

Mas o que quer esse viajante pós-pandêmico? Para entender o viajante brasileiro a negócios, a PANROTAS e a Trend encomendaram uma pesquisa ao TRVL Lab, que desenhou o estudo A Transformação do Viajante Corporativo Brasileiro. A pesquisa exclusiva é um dos destaques do Anuário PANROTAS de Eventos e Viagens Corporativas, que está sendo distribuído esta semana no Lacte, evento da Alagev que ocorre no WTC Events Center, em São Paulo. Você pode conferir a edição digital do Anuário acima e ver o estudo completo no site do TRVL Lab (trvl.com.br)

Divulgação
Bruno Heleno, diretor geral da Trend
Bruno Heleno, diretor geral da Trend

Foram ouvidos 268 viajantes, dos quais 58% homens, 59% da região Sudeste (Nordeste, com 20%, veio em segundo lugar), e a maioria dos setores de Serviço, Comércio e Educação.

Além dos dados do que querem os viajantes em relação às TMCs, gostos de viagens, reservas, hospedagem, transporte, atividades na viagem, entre outros itens, a pesquisa traz cinco grandes sacadas e cinco perfis de viajantes identificados pelo TRVL Lab nas respostas ao questionário.

Os viajantes a negócios ainda buscam mais flexibilidade e autonomia e em muitos casos conseguiram, por exemplo, para escolher fornecedores ou para o trabalho híbrido, que, veio para ficar, mas não como prevíamos antes da pandemia.

Reprodução/TRVL Lab


Confira as principais descobertas da pesquisa TRVL Lab/Trend

1. A maioria absoluta das viagens de negócios realizadas é dentro do Brasil, com frequência de 1 a 4 vezes nos últimos 12 meses.

Reprodução/TRVL Lab


2. Segundo os viajantes ouvidos, a quantidade de viagens corporativas aumentou em relação a 2019.

Reprodução/TRVL Lab

3. Os viajantes são incentivados pelas empresas onde trabalham a realizar viagens híbridas, podendo estender sua estada no destino de negócios para aproveitá-lo também a lazer. Porém, costumam fazer isso efetivamente apenas “às vezes” ou “raramente”. Mas já é uma possibilidade concreta que tende a crescer.

4. As empresas também permitem que seus funcionários atuem em qualquer lugar (anywhere office). A maioria daqueles que tem esta permissão também afirma que trabalha no formato à distância apenas “às vezes” ou “raramente”.

Reprodução/TRVL Lab

5. As empresas costumam ter políticas de viagens bem estabelecidas e estão mais flexíveis que em 2019, uma demanda pós-pandemia.

Reprodução/TRVL Lab


6. A maioria dos entrevistados é ouvida quanto às suas preferências de viagens e tem autonomia na escolha de fornecedores. Os principais itens sobre os quais esses viajantes têm influência são: o meio de transporte, hospedagem e a forma de pagamento.

7. Entre os maiores problemas sinalizados pelos viajantes, no momento da reserva, estão: poucas opções dentro do orçamento permitido pelas empresas e ainda pouca flexibilidade para algumas mudanças.

8. A confiança é o principal fator para aqueles que adquirem viagens com consultores e agências de viagens e acreditam que estes profissionais tornam o processo útil e ágil.

Reprodução/TRVL Lab

9. O fator que mais se destaca como insatisfatório nas viagens aéreas são os atrasos, seguidos dos cancelamentos de voos.

10. Localização, segurança percebida no meio de hospedagem e preço são os fatores mais importantes na hora de escolher um hotel. 31,37% afirmam que os meios de hospedagem de negócios deveriam oferecer transfer para o aeroporto. O que mais os fornecedores estão deixando de oferecer ao cliente? Confira na pesquisa.

Reprodução/TRVL Lab

11. Como principais problemas na hotelaria ressaltam o preço elevado das diárias e a conexão de internet com baixa qualidade.

12. Na hora de contratar algum tipo de serviço agregado, por exemplo seguro viagem, salas VIP, transfer, entre outros, os viajantes afirmam que suas escolhas são baseadas principalmente na segurança e no conforto que estes itens podem agregar à viagem. O preço, facilidade de reserva e compra e qualidade percebida também são fatores importantes.

13. Google, aplicativos de plataformas de viagens e as ferramentas de reserva on-line disponibilizadas pela empresa são as tecnologias que mais ajudam os viajantes corporativos durante suas jornadas.

14. Estes viajantes ainda apontam situações em que a tecnologia poderia ser uma solução para melhorar suas viagens, entre elas: fornecer informações em tempo real, realizar check in e check out e meio de pagamento.

15. Na aviação, a Azul foi a companhia preferida para viagens domésticas, e Latam para as internacionais. Na hotelaria, Ibis é a marca de hotel preferida dos viajantes a negócios.

Reprodução/TRVL Lab

Confira a pesquisa completa no www.trvl.com.br.

E aqui abaixo a edição digital do Anuário PANROTAS de Eventos e Viagens Corporativas.


Tópicos relacionados

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA

Mais notícias