TECNOLOGIA

Confira as tendências que mudarão os pagamentos em 2018

Pixabay
A tecnologia reinventou o comércio. Há uma geração, as pessoas costumavam sair às ruas para atender suas necessidades de compras e realizando, invariavelmente, o pagamento em dinheiro. Muita coisa mudou de lá para cá. Além da chegada de empresas como Amazon, Alibaba e eBay, ainda na década de 1990, com apenas um clique, hoje os consumidores não precisam nem mesmo se fixarem a um computador — um smartphone dá conta sozinho de realizar as mais variadas transações.

Como resultado, os pagamentos estão se tornando cada vez mais uma mercadoria na experiência do comércio. Os consumidores esperam uma experiência de verificação sem atritos, combinados com o mesmo nível de segurança em todos os dispositivos que existem.

NOVOS FORMULÁRIOS DE PAGAMENTOS EMERGENTES

O comércio digital não está necessariamente restrito a computadores ou smartphones. De acordo com a Euromonitor, há uma infinidade de coisas, incluindo dispositivos, aparelhos roupas, acessórios de moda e sensores conectados, todos com potencial para gerar uma transformação o comércio e inaugurar novas formas e meios de pagamento.

A empresa ainda estima que quase 81 milhões de alto-falantes sem fio, como o Amazon Echo, serão vendidos globalmente, até o final deste ano — podendo crescer em cerca de 84% das vendas até 2021. A maneira como dispositivos do tipo poderão ser usados nas vendas e compras, porém, ainda é uma incógnita.

Dreamstime
Para a Euromonitor, a inteligência artificial deverá transformar a realidade de muitas empresas.
Para a Euromonitor, a inteligência artificial deverá transformar a realidade de muitas empresas.
“Os consumidores atuais são mais espertos e têm maiores expectativas do que nunca”, afirmou o vice-presidente da Mastercard, Kiki del Valle. Em um esforço para promover a segurança digital, a empresa uma série de Interfaces de Programação de Aplicativos (da sigla em inglês APIs) para emissores de cartões, que fornecerão aos consumidores uma visão única de todos os dispositivos digitais onde ele está armazenado.

O projeto visa que os consumidores tenham um maior controle acerca do armazenamento de seus dados nos dispositivos, além de permitir a desativação ou mesmo o controle de seus gastos.

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL
O aprendizado de máquina já permite que as marcas sintetizem melhor os dados e incorporem esses conhecimentos para melhorar a experiência do comércio. Ainda, com a confluência de drives poderosos, que incluem o crescimento exponencial de redes de dados, de distribuição mais sofisticados e algoritmos mais inteligentes, impulsionou o uso da inteligência artificial.

Para o Euromonitor, a ferramenta deverá transformar a realidade de muitas empresas. O diretor-geral de IA da Amazon Web Services, Matt Wood, destaca que a empresa e seus clientes fazem uso da inteligência artificial para auxiliar a informar as decisões do cumprimento e logística para a personalização e prevenção de fraudes. A Expedia, por exemplo, usa a ferramenta para identificar as melhores fotos a mostrar aos clientes e determinar quais vão favorecer a reserva de um quarto através de modelos de deep learning.

O executivo ainda salientou que a ferramenta é a inovação, quer seja com novas funcionalidades para produtos existentes, novas experiências ou novas categorias. “A aprendizagem de máquina é definitivamente o futuro do crescimento”, afirmou Wood, referindo que a Amazon gasta 1% dos custos no treino e 99% em inferências.
A Euromonitor International prevê que as despesas turísticas dos chineses seja a que irá crescer mais rapidamente em nível mundial até 2030.
A Euromonitor International prevê que as despesas turísticas dos chineses seja a que irá crescer mais rapidamente em nível mundial até 2030.

AVANÇO CHINÊS
Na última década, os smartphones emergiram como um dispositivo imprescindível para os consumidores em todo o mundo. Ainda segundo o Euromonitor, em 2015, os consumidores chineses realizaram mais compras por meio de celulares do que em computadores.

A parir do ano passado, dois terços das compras digitais eram realizadas em dispositivos móveis. Players como Alipay e Wechat, que oferecem aos consumidores chineses um aplicativo orientado aos seus estilos de vida, ainda contam com recursos de comércio que alimentam as transações do país com o resto do mundo.

Essas carteiras estão caminhando para o oeste, em contrapartida, o poder de consumo de seus habitantes cresce e o governo trabalha em melhorar a cooperação internacional — o que permite o crescimento de chineses viajando por diversas parte do globo. A Euromonitor International prevê que as despesas turísticas dos chineses seja a que irá crescer mais rapidamente a nível mundial até 2030.


*Fonte: Euromonitor International

conteúdo original: http://bit.ly/2j0iwZv
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA