Mindset precisa ser mudado em relação à tecnologia em eventos

|

Beatrice Teizen
Raffaele Cecere, da R1, André Rodrigues, da Moblee, Denis Braguini, da Resultados Digitais, e Vitor Cavalcanti, da It Mídia
Raffaele Cecere, da R1, André Rodrigues, da Moblee, Denis Braguini, da Resultados Digitais, e Vitor Cavalcanti, da It Mídia
FLORIANÓPOLIS – A tecnologia está cada vez mais avançada e seu uso está presente em diversos segmentos. Em eventos, usada antes, durante e depois, ela já oferece diversas possibilidades e está muito acessível. No entanto, mesmo com muitas opções, as ideias ainda são pouco exploradas.

“A tecnologia está disponível e está cada vez mais barateada. Construir cenários muito grandes é muito custoso e essas soluções podem ser a alternativa. Na minha opinião, a grande sacada no momento é a realidade virtual e aumentada. Tem também a RFID, projeção mapeada e interativa. Não há mais como fugir, elas impactam no engajamento do participante”, opina o sócio diretor da R1, Raffaele Cecere.

Por que ainda há uma distância entre o digital e o mundo de eventos (off-line)? Tecnologia não falta, mas, sim, uma mudança no mindset. Entender que ela é muito mais que um recurso e que ela precisa estar de fato incorporada na estratégia macro das empresas.

Outro pilar é o de engajamento. “Existem diversos recursos tecnológicos que ajudam na maximização da participação das pessoas em eventos, seja no pré, durante ou pós. Evento é sobre gente e tecnologia para eventos também. Ela tem de fato impactar e não ser apenas algo pontual”, afirma o CEO da Moblee, André Rodrigues.

 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA