Anac arrecada R$ 3,3 bilhões em leilão de 22 aeroportos

|


Felipe Menezes/Inframerica
Os 22 aeroportos concedidos foram divididos em três blocos: Norte, Central e Sul
Os 22 aeroportos concedidos foram divididos em três blocos: Norte, Central e Sul
A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) realizou hoje (7) o leilão da 6ª rodada de concessão aeroportuária com 22 aeroportos divididos em três blocos: Norte, Central e Sul. Os terminais serão concedidos à iniciativa privada por um período de 30 anos e, segundo informa a agência, os blocos ofertados reunem aeroportos que processam, juntos, cerca de 11% do total do tráfego de passageiros do País.

O leilão acontece na B3 e teve a Companhia de Participações em Concessões, do grupo CCR, levando dois dos três blocos. A empresa foi responsável pelo lance de R$ 2,1 bilhões pelo bloco Sul, que conta com nove aeroportos na região Sul (Curitiba/PR, Foz do Iguaçu/PR, Navegantes/SC, Londrina/PR, Joinville/SC, Bacacheri/PR, Pelotas/RS, Uruguaiana/RS e Bagé/RS).

O bloco Central também foi arrematado pela Companhia de Participações em Concessões, que nesse lance ofereceu R$ 754 milhões. Nesse bloco estão os aeroportos de Goiânia/GO, São Luís/MA, Teresina/PI, Palmas/TO, Petrolina/PE e Imperatriz/MA.

Já o grupo Norte, que tem o Aeropoto de Manaus como seu principal ativo, foi arrematado pela Vinci Airport, que também gere o terminal de Salvador. O lance do grupo francês foi de R$ 420 milhões pelo bloco que tem ainda os aeroportos de Porto Velho/RO, Rio Branco/AC, Cruzeiro do Sul/AC, Tabatinga/AM, Tefé/AM e Boa Vista/RR.

A arrecadação total com a 6ª rodada de concessão aeroportuária chega a R$ 3,3 bilhões.

TURISMO
Para o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, a iniciativa será um diferencial na retomada das atividades turísticas no Brasil. “Além de atrair investimentos para o nosso país, ações como essa permitirão que tenhamos uma infraestrutura cada vez melhor para oferecer tanto para os turistas domésticos como os internacionais e isso será ainda mais importante no retorno das atividades”, destacou.

Machado Neto também ressaltou que o Brasil é o país com o maior potencial de retomada, com atrativos naturais únicos e que atendem à demanda do turista mundial, tendo em vista que o turismo de natureza é uma tendência para o cenário pós-pandemia.


“Dados do Google mostram que as consultas pelo Turismo de natureza tiveram um salto após a pandemia, passando de 10 a cada 100 buscas para 54. Não tenho dúvida que teremos a maior retomada já vista e ela se intensifica com o avanço da vacinação em todo o País, o que mostra que o governo do presidente Bolsonaro segue comprometido com a saúde da nossa população sem esquecer também da nossa economia”, avaliou.

RESULTADOS DOS LEILÕES DA 6ª RODADA DE CONCESSÕES DE AEROPORTOS
BLOCO SUL: Curitiba/PR, Foz do Iguaçu/PR, Londrina/PR, Bacacheri em Curitiba/PR, Navegantes/SC, Joinville/SC, Pelotas/RS, Uruguaiana/RS e Bagé/RS.
VENCEDOR: Companhia de Participações em Concessões
PROPOSTA FINAL: R$ 2.128.000.000,00
CONTRIBUIÇÃO INICIAL (LANCE MÍNIMO): R$ 130.203.558,76
ÁGIO: 1.534,36%


BLOCO CENTRAL: Goiânia /GO, Palmas/TO, São Luís/MA, Imperatriz/MA, Teresina/PI e Petrolina/PE.
VENCEDOR: Companhia de Participações em Concessões
PROPOSTA FINAL: R$ 754.000.000,00
LANCE MÍNIMO: R$ 8.146.055,39
ÁGIO: 9.156,01%


BLOCO NORTE: Manaus/AM, Tabatinga/AM, Tefé/AM, Porto Velho/RO, Rio Branco/AC, Cruzeiro do Sul/AC e Boa Vista/RR.
VENCEDOR: VINCI AIRPORTS
PROPOSTA FINAL: R$ 420.000.000,00
LANCE MÍNIMO: R$ 47.865.091,02
ÁGIO: 777,47%


ARRECADAÇÃO TOTAL: R$ 3.302.000.000,00
ÁGIO MÉDIO: 3.822,61%


Fonte: Anac e MTur
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA