EMPRESAS

'É problema deles', diz presidente da Azul sobre a Avianca


Marcos Martins
John Rodgerson criticou estratégia de concorrentes em disputa pela Avianca
John Rodgerson criticou estratégia de concorrentes em disputa pela Avianca
O presidente da Azul, John Rodgerson, criticou a Gol e a Latam após as duas companhias entrarem na disputa pela Avianca Brasil. Em entrevista ao Portal PANROTAS, o executivo afirmou que o motivo das duas empresas entrarem na concorrência por partes da aérea que está em recuperação judicial foi a ponte aérea Rio-São Paulo. As declarações aconteceram hoje após o lançamento de novos voos para Araraquara e Guarujá (SP).

"Quando Gol e Latam entraram no jogo, tornou-se um problema deles. Era algo que as duas companhias queriam o tempo inteiro porque, se a Avianca fechar, elas recebem os slots. E tudo foi feito para barrar a nossa entrada em Congonhas e Santos Dumont. O motivo foi apenas uma rota de ponte aérea, havendo duopólio. Concorrência é algo bom para os clientes, mas a Gol e a Latam não quiseram a nossa porque sabem que a Azul tem o melhor produto e estamos entre as dez aéreas mais bem avaliadas do mundo. Eles têm medo disso", afirma.

Segundo Rodgerson, a Azul tinha planos maiores para a Avianca Brasil e agora espera pelo que virá nas negociações. "Montamos um plano para resgatar a companhia e contratar milhares de funcionários. Investiríamos pelo menos US$ 105 milhões na compra e, posteriormente, US$ 130 milhões dentro da Avianca Brasil para levantá-la. Infelizmente será difícil chegar até o leilão porque as aeronaves estão sendo devolvidas, algo muito triste para o consumidor. Não quiseram ter a gente neste mercado Rio-SP, mas de qualquer maneira, a Azul não para de crescer", finaliza.

RESPOSTA DA GOL
Em nota, a Gol explicou o seu posicionamento sobre o caso da Avianca. "O acordo de recuperação judicial da Gol firmado com a Elliott potencializa a concorrência pelos ativos da Avianca Brasil. A divisão dos horários de pouso e decolagem dos aeroportos de Congonhas, Guarulhos e Santos Dumont em seis UPIs Aéreas, além do programa de milhagem, permite a participação não só da Gol, mas de qualquer outro interessado em adquirir uma das unidades."

LATAM BRASIL
A companhia também enviou nota à PANROTAS para esclarecer a sua estratégia. "Em relação à recuperação judicial da Avianca Brasil, a Latam Airlines Brasil reforça que foi abordada pela Elliott para participar da reestruturação. A companhia segue confiante no processo competitivo pelas UPIs (Unidades Produtivas Isoladas). O modelo proposto permite que mais interessados participem do processo, o que é benéfico tanto para o ambiente concorrencial quanto para o consumidor."
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA