EMPRESAS

Discurso da Azul é baseado em mentiras, diz presidente da Latam

O presidente da Latam, Jerome Cadier, disse, em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, que a reputação do setor aéreo no Brasil está em descrédito. Segundo ele, as recentes declarações de John Rodgerson, presidente da Azul, são baseadas em mentiras. "Fica parecendo que é um setor que não é sério, que não tem regras", diz Cadier.

Emerson Souza
O presidente da Latam, Jerome Cadier<br/>
O presidente da Latam, Jerome Cadier

O presidente da Latam, assim como fez Paulo Kaninoff, da Gol, rebateu as acusações de que estaria impendido a Azul de entrar na ponte aérea. “Esse discurso é uma cortina de fumaça. O que o John esconde é que ele já tem 13 slots em Congonhas. A Avianca tem 21. O objetivo dele é levar os slots pagando o mínimo possível, sem concorrência”, afirmou.

Para Cadier, John Rodgerson precisa defender os interesses da Azul sem acusar, mentir ou denegrir suas concorrentes. O presidente da Latam reforça o discurso de Kakinoff e diz que a Elliot – maior credora da Avianca Brasil – foi quem procurou Gol e Latam para oferecer propostas para o leilão. “É óbvio que eu, que defendo os interesses da Latam, vou querer os slots”.

Por fim, Cadier disse que já contratou mais ex-funcionários da Avianca Brasil do que a Azul está divulgando que admitiu e que, diferente da Azul, segue embarcando os clientes prejudicados com o fim das operações da quarta maior empresa aérea do País. “Ele parou de transportar passageiro da Avianca no evento do leilão. Ele está preocupado com o setor, mas para de transportar passageiros da Avianca? E somos nós que estamos forçando para a Avianca quebrar?”


*Fonte: Folha de SP

conteúdo original: https://bit.ly/2IjO2hW
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA

As mais lidas agora