EMPRESAS

Tarifa média cai até 23% após chegada de low costs no Brasil


Quase um ano após a chegada das primeiras companhias aéreas internacionais de baixo custo no Brasil, o preço médio das passagens caiu até 23% nas rotas em que atuam. Os dados são do metabuscador Kayak.

Antes da Sky Airline entrar na rota Rio de Janeiro-Santiago, o tíquete médio da rota era de R$ 1.772 e, depois do início da atuação, o valor baixou 17% para R$ 1.454. Da capital paulista à capital chilena a queda também foi de 17%: de R$ 2.245 para R$ 1.859.

Divulgação
Sky Airline
Sky Airline
Com a Norwegian Air na rota Rio de Janeiro-Londres a queda foi ainda mais acentuada. De R$ 5.990 a R$ 4.611, barateando o tíquete médio em 23%.

“Os preços podem ter diminuído tanto pela oferta de passagens baratas das low costs como por uma revisão de estratégia de companhias tradicionais, que podem estar baixando seus preços de base e oferecendo voos com menos serviços para continuarem competitivas”, avalia o líder de Operações do Kayak no Brasil, Eduardo Fleury. “De qualquer forma, é importante que o viajante saiba que está pagando mais barato por um produto mais simples e que se quiser todos os serviços de bordo inclusos os preços sobem”, completa.

Fleury se refere ao modelo em que as low costs usualmente precificam seus bilhetes, isto é, um serviço simples, sem refeições, bagagens ou marcação de assentos inclusos em seus preços de base.

No último mês começaram a operar outras duas companhias de baixo custo: a chilena JetSmart, que por ora está voando de Salvador para Santiago, e a argentina Flybondi, que está voando do Rio de Janeiro para Buenos Aires. De acordo com o metabuscador, essas rotas também podem apresentar queda em seus preços médios ao longo dos próximos meses.

Jhonatan Soares
Eduardo Fleury, do Kayak
Eduardo Fleury, do Kayak
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA