EMPRESAS

PANROTAS 45 anos: o Turismo sem Varig, Vasp e Transbrasil

Durante décadas, Varig, Vasp e Transbrasil dominaram os céus do Brasil em uma época que ficou conhecida como a era de ouro da aviação brasileira. Era um período em que viajar de avião era muito mais do que se deslocar de uma cidade a outra. Havia um charme todo especial. Os passageiros escolhiam sua melhor roupa para viajar e as companhias aéreas retribuíam com um serviço de bordo requintado.

Com aviões mais apertados e serviço de bordo cada vez mais escasso atualmente, mesmo quem não teve a oportunidade de voar pela Varig, Vasp ou Transbrasil sente falta do requinte oferecido pelas três companhias em seu auge. É que as empresas ficaram guardadas na memória coletiva do brasileiro como exemplos de um ótimo serviço ao passageiro.

Divulgação

Durante o auge de Varig, Vasp e Transbrasil, a aviação vivia um período de preços controlados. As tarifas eram fixas e determinadas pelo governo brasileiro. Essa realidade começou a mudar a partir de 1989, quando se iniciou um processo de flexibilização com a implantação de um regime de bandas tarifárias. O governo passou a determinar o valor mínimo e máximo para cada rota.

A primeira a sofrer um golpe fatal foi a Transbrasil, que interrompeu suas atividades em dezembro de 2001. Em 2005, foi a vez de a Vasp não resistir à concorrência e cessar suas operações. A última a resistir foi a Varig, que já foi a maior companhia aérea brasileira. Em 2007, a empresa foi comprada pela Gol. Em 2013, no entanto, o último avião que ainda exibia as cores da Varig mudou de pintura e a marca Varig saiu definitivamente de cena.

O FIM DAS TRÊS GIGANTES
A liberdade tarifária e de oferta mudaram a forma como as companhias aéreas são administradas. Com tantas restrições, Varig, Vasp e Transbrasil operavam de maneira bastante semelhante, já que inovar era algo mais complicado naquela época.

Além da legislação, as empresas passaram a viver em um novo mundo com a chegada da internet. Um mundo bem diferente da época em que Varig, Vasp e Transbrasil reinavam absolutas nos céus brasileiros. A popularização da internet revolucionou a forma como as pessoas se comunicam e também como compram passagens aéreas.

Leia a matéria completa, que conta ainda com depoimentos de Luiz Mór (ex-Varig e ex-Tap), Pedro Mattos (ex-Transbrasil e ex-Webjet), Tarcísio Gargioni (ex-Vasp, ex-Gol e ex-Avianca Brasil), Alexandre Camargo (ex-Varig) e do ex-piloto da Vasp, Miguel Angêlo.

Por Vinicius Casagrande, especialmente para o Portal PANROTAS

Leia a matéria completa na edição 1.397 da Revista PANROTAS:


 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA