SAA prorroga permanência no Brasil até 31 de março

|


Divulgação
SAA fica até 31 de março no Brasil
SAA fica até 31 de março no Brasil
A South African Airways continuará voando de São Paulo a Joanesburgo pelo menos até o dia 31 de março 2020. A companhia aérea, que deixaria o Brasil a partir de 29 de fevereiro, estendeu o período de operação e seguirá por todo o mês seguinte, de maneira que a nova data para se despedir do País é 1º de abril.

LEIA TAMBÉM:
GESTORES DA SAA EXPLICAM DECISÃO DE SAIR DO BRASIL E CORTE NA MALHA
OPERADORAS ANALISAM FIM DOS VOOS DA SAA NO BRASIL E CITAM ALTERNATIVAS
"LEGADO DA SAA CONTINUA", ESCREVE DIRETORA DE TURISMO NO BRASIL

Nesta semana, o Portal PANROTAS já havia anunciado que o governo sul-africano articula para a SAA, que tem 50 anos de atuação no Brasil, permaneça fazendo a ligação. No entanto, o diretor da aérea em nosso mercado, Altamiro Médici, afirma que por ora esteja falando apenas de uma extensão e não de uma permanência definitiva. Apesar disso, ele não esconde sua torcida para que a situação seja revertida.

Emerson Souza
Altamiro Médici, diretor da SAA no Brasil: Estamos na torcida para que volte em definitivo
Altamiro Médici, diretor da SAA no Brasil: Estamos na torcida para que volte em definitivo
"Conseguimos manter, em março, a operação normal, diária, por conta de Carnaval e outros fatores. Estamos na torcida para que volte em definitivo, mas as reacomodações, agora, estão previstas para 1º de abril em diante", afirma Médici.

REMARCAÇÃO EM VOOS DA SAA

Agentes de viagens e passageiros com voo marcado para março podem se tranquilizar e nada precisam fazer para serem reacomodados. O procedimento segue normal. Já os passageiros com voos marcados de 1º de abril em diante devem buscar os canais de contato da South African Airways no Brasil para fazer reacomodação ou cancelamento sem custos.

LEIA TAMBÉM: E-MAIL DA SAA É A MELHOR ALTERNATIVA PARA REACOMODAÇÃO

AIRTKT

Como também apurou o Portal PANROTAS, um dos motivos para São Paulo estar entre as rotas descontinuadas em meio à crise global da South African Airways foi o baixo desempenho em vendas registrado recentemente. Isso porque os consolidadores aéreos associados à Airtkt deixaram de vender bilhetes da companhia sul-africana receando a situação financeira pela qual a aérea passa.

"Nossa relação sempre foi muito boa", defende-se Médici, em relação aos consolidadores e à Airtkt. "Temos muito tempo de Brasil e sempre fomos próximos ao trade, sempre buscando feedback do mercado. Acabei de noticiar ao Ralf [Aasmann, presidente da Airtkt] sobre o voo de março e obtive apoio. Os consolidadores estão vendendo SAA. Houve, sim, um momento de cautela, mas a associação está nos apoiando", completou o diretor.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA