Aviareps contrata Diógenes Toloni para novo cargo: head de Aviação

|


Filip Calixto
Diógenes Toloni, novo head de Aviação da Aviareps, e Marcelo Kaiser, vice-presidente da companhia de representação para a América Latina
Diógenes Toloni, novo head de Aviação da Aviareps, e Marcelo Kaiser, vice-presidente da companhia de representação para a América Latina
Em crescimento no Brasil, a Aviareps está aprimorando sua estratégia de atuação no País. Peça-chave nessa mudança é Diógenes Toloni, que acaba de deixar a Aerolíneas Argentinas para assumir uma cadeira até então inexistente na empresa de representação, o de head de Aviação. A ideia é liberar o caminho para Marcelo Kaiser se dedicar mais aos sete países latinos em que a Aviareps atua além do Brasil.

Além de diretor da Aviareps no Brasil, Kaiser detém o cargo de vice-presidente da companhia para América Latina. Daí a necessidade de ter um braço direito atuando com foco total nas aéreas, que representam a parte mais significativa dos negócios da empresa. "O Diógenes é quem estará no dia a dia cuidando de tudo o que diz respeito a aviação, enquanto poderei finalmente dar mais do meu tempo a toda região", afirma Marcelo Kaiser, se referindo a Argentina, Chile, Colômbia, Equador, México, Panamá e Peru.

A Ethiopian será a companhia que mais demandará de Toloni neste primeiro momento. Uma das maiores contas da Aviareps, a aérea africana passou por transformações recentes no Brasil, uma vez que seu diretor, Raphael de Lucca, foi para a Copa Airlines, e o gerente Fernando Hagopian foi para a Virgin Atlantic. Então, além de Toloni, a Aviareps contratou Thomas Munnich, ex-Lufthansa, Sete Mares, BBTur e Virtuoso, que ficará totalmente dedicado ao mercado corporativo para a Ethiopian. Com ele, a transportadora etíope fica com três executivos dedicados ao Brasil: Josué Silva e Erik Santana completam o time.

Filip Calixto
Thomas Munnich, novo executivo de Vendas da Ethiopian para o Brasil, que fica totalmente focado no corporativo
Thomas Munnich, novo executivo de Vendas da Ethiopian para o Brasil, que fica totalmente focado no corporativo
Time este que encara um momento único da Ethiopian no Brasil. Ao mesmo tempo em que a saída da SAA de nosso mercado tira do caminho um concorrente de peso, o coronavírus tem a China, o principal destino para passageiros brasileiros da Ethiopian, como epicentro.

"Independentemente do momento, confiamos plenamente no potencial da Ethiopian como ligação de brasileiros a vários destinos na China, a Dubai e outros destinos do Oriente Médio, a Bangkok, ao Japão, à Coréia do Sul e, claro a uma série de países africanos.", afirma o recém-chegado Thomas Munnich. A cordialidade no atendimento, a frota de média de quatro anos e meio composta por B777, Dreamliner e A350 e a facilidade de conexão em Adis Abeba são alguns dos trunfos apontados pelo executivo. A companhia, que nos últimos três anos ganhou quatro estrelas Skytrax, tem duas bagagens de 23 quilos incluídas em todas as tarifas. Hoje a Ethiopian voa para 126 destinos, com 121 aeronaves.

"Feliz", respondeu prontamente Toloni quando perguntado a respeito do novo momento. "O projeto é novo, ao lado de uma equipe forte, gente em quem acredito. Tem muita coisa para ser alterada, vamos entrar com foco total no corporativo. Neste primeiro momento darei atenção à Ethiopian, mas ao longo do ano, conforme nos acertamos, vou cuidar também das outras aéreas do grupo", completou o novo contratado.

Diógenes Toloni responde no dtoloni@aviareps.com, e Thomas Munnich no thomask@ethiopianairlines.com

Entre outras aéreas, a Aviareps comanda: Air Tahiti Nui, Amaszonas, Cabo Verde Airlines e Singapore. Novas companhias devem ser anunciadas em breve.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA