Boeing pagará US$ 2,5 bilhões em acordo sobre 737 Max

|

Divulgação/Boeing
Boeing pagará US$ 2,5 bilhões em acordo legal com o Departamento de Justiça decorrente dos acidentes com o 737 Max
Boeing pagará US$ 2,5 bilhões em acordo legal com o Departamento de Justiça decorrente dos acidentes com o 737 Max
A Boeing concordou em pagar mais de US$ 2,5 bilhões em um acordo legal com o Departamento de Justiça dos Estados Unidos decorrente dos acidentes com o 737 Max, segundo informações do The New York Times. A decisão resolve uma acusação criminal de que a fabricante conspirou para fraudar a FAA, que regulamenta a empresa e avalia seus aviões.

O valor seria composto de uma multa monetária de US$ 243,6 milhões, pagamentos de compensação para clientes das companhias aéreas de US$ 1,77 bilhão e o estabelecimento de um fundo de US$ 500 milhões para herdeiros, parentes e beneficiários legais dos 346 passageiros que morreram nos acidentes ocorridos com os 737 Max da Lion Air e da Ethiopian Airlines.

Ainda segundo a publicação, com menos de duas semanas para o fim do governo Trump, o acordo tira da mesa a questão de como o Departamento de Justiça de Biden o veria. O quase ex-presidente havia discutido repetidamente a importância da Boeing para a economia, chegando a dizer que era a favor de um resgate da companhia no ano passado.

Nunca houve uma ameaça real de que os promotores teriam buscado uma condenação criminal. Tal movimento poderia potencialmente colocar a Boeing, um dos maiores fabricantes dos EUA, fora do mercado e custar dezenas de milhares de empregos na fabricante de aviões, seus fornecedores e outras empresas.


*Fonte: The New York Times

conteúdo original: https://nyti.ms/2Lyx2so
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA