Iata pede que governos se associem à indústria aérea

|

Iata está pedindo aos governos que se associem à indústria de transporte aéreo para elaborar planos para a retomada
Iata está pedindo aos governos que se associem à indústria de transporte aéreo para elaborar planos para a retomada
A Iata está pedindo aos governos que se associem à indústria de transporte aéreo para elaborar planos para reconectar pessoas, negócios e economias com segurança quando a situação epidemiológica da covid-19 permitir. Uma prioridade para esta cooperação crítica é a aceleração do estabelecimento de padrões globais para vacinação e certificação de testes.

“Mesmo com o aprofundamento da pandemia, é importante preparar o caminho para a retomada dos voos, quando a doença permitir. Compreender os parâmetros de referência da política governamental e concordar com os padrões globais necessários para apoiar o retorno à normalidade nas viagens garantirá que o transporte aéreo seja bem preparado e não se torne um vetor significativo para a reimportação. As companhias aéreas estão prontas para apoiar os governos nesta tarefa”, diz o diretor geral e CEO da entidade, Alexandre de Juniac.

PRINCÍPIOS
Quando os governos voltarem a atenção para o restabelecimento da conectividade aérea global, a Iata estará pronta para fazer parceria com eles para facilitar uma abordagem globalmente consistente, eficiente e eficaz. Já é possível ver alguns governos desenvolvendo princípios em seus programas de teste e vacinação que poderiam formar a base para a harmonização global. Esses incluem:

  • Vacinação: a maioria dos governos está buscando uma estratégia de vacinação que visa proteger primeiro os profissionais de saúde e as populações mais vulneráveis. A Iata apoia a reabertura das fronteiras para viagens quando isso for alcançado, pois os maiores riscos terão sido mitigados.
  • Indivíduos vacinados: o governo grego propôs que os indivíduos vacinados fossem imediatamente isentos de restrições de viagem, incluindo quarentena. A associação apoia iniciativas de governos, incluindo Polônia, Letônia, Líbano e Seychelles, para implementar essa isenção.
  • Teste: muitos governos estão implementando regimes de teste para facilitar as viagens, apoiados pela entidade. A Alemanha e os EUA, por exemplo, estão aproveitando a rápida melhoria nas tecnologias de teste para aceitar PCR e os de antígenos para gerenciar com segurança os riscos de viagens. Embora os testes rápidos de antígeno sejam preferidos por suas vantagens de velocidade e custo, está claro que o PCR terá um papel importante, já que muitos governos estão exigindo exames dentro de uma janela de 48 a 72 horas antes da viagem.
  • Tripulação: a orientação da ICAO recomenda que a tripulação seja isenta de processos de teste e restrições que são projetados para passageiros. A Iata apoia os protocolos de gerenciamento da saúde da tripulação que incluem, por exemplo, testes regulares e verificações de saúde em bases caseiras, junto com diretrizes rígidas que limitam a interação com a comunidade local durante as paradas da tripulação. Isso permite que as companhias aéreas gerenciem os riscos da covid-19, mantendo a viabilidade operacional.
  • Medidas de biossegurança em várias camadas: as recomendações da ICAO para medidas de biossegurança em várias camadas (incluindo o uso de máscara) estão sendo implementadas globalmente. A associação concorda que tais medidas permaneçam totalmente em vigor para todos os viajantes até que a situação epidemiológica permita um relaxamento.
 AVALIE A IMPORTÂNCIA DESTA NOTÍCIA